Rio Branco, Acre,





Desclassificado do BBB19 e acusado de assédio, Vanderson se manifesta: ‘Verdades surgirão’


REVISTA QUEM
Desclassificado por conta de acusações de assédio e estupro, o biológo e coordenador educacional Vanderson Brito, de 35 anos, deixou a casa do BBB19, na quarta-feira (23), depois de apenas 8 dias de confinamento.

Já fora do programa, ele assumiu novamente as suas redes sociais e fez vídeos em seu Instagram Stories para falar pela primeira vez sobre o assunto. A eliminação do acreano aconteceu por conta dos desdobramentos das acusações que envolvem estupro, agressão e importunação ofensiva ao pudor – todas feitas após a entrada dele no programa.

“Pessoal, queria muito agradecer todo mundo que estava comigo, tentou me ouvir. Sei que rolaram umas histórias estranhas, mas isso é bobagem, né. Cada um fala o que quer. Só existe uma verdade na vida. As verdades surgirão. Não vim aqui pra fora pra nada além de dizer a verdade”, começou ele.

“E a gente vai continuar se conhecendo. Fico muito feliz, sou muito grato por tudo que vocês fizeram, por ficar comigo o tempo todo, pelos votos que me deram, pelo carinho que eu recebo. E não tem nada melhor que sair de um lugar e receber o carinho no aeroporto, na rua, em casa. E a casa da gente é nosso refúgio, mesmo”, completou o ex-BBB.

VEJA O VÍDEO AQUI.

Ao final, Vanderson volta a falar sobre as verdades. “Muito obrigado por tudo, de verdade. E agora é momento de mostrar verdades, mostrar o que está acontecendo, mesmo, e seguir. A nossa vida é maior do que mentiras. Mentira não passa, não. Mentira não passa de jeito nenhum”, finalizou Vanderson, que contou com a empolgação de amigos e familiares ao fundo do vídeo (assista abaixo).

ENTENDA O CASO
A delegada Rita Salim, titular da Delegacia de Atendimento à Mulher de Jacarepaguá (DEAM), no Rio de Janeiro, compareceu à casa do BBB na manhã de quarta-feira (23) para intimar o biólogo e coordenador educacional a prestar depoimento na delegacia diante do inquérito instaurado para investigar as denúncias. Como participantes não podem ter contato com pessoas fora do programa, ao ter que deixar o confinamento Vanderson foi automaticamente eliminado.

De acordo com Assessoria de Comunicação da Polícia Civil do Estado do Rio, Vanderson foi intimado nesta quarta-feira (23) e será ouvido na segunda (28) pela manhã na  Delegacia de Atendimento à Mulher de Jacarepaguá (DEAM).

Maíra Menezes, de 27 anos, acusou o biólogo e coordenador educacional indígena Vanderson, de 35 anos, de agressão. A estudante namorou o acreano durante um ano, dos 18 aos 19 anos. Procurada por QUEM, a TV Globo, através de sua assessoria de comunicação, divulgou a seguinte nota sobre o caso: “A Globo é veementemente contra qualquer tipo de violência, mas cabe às autoridades competentes a apuração de denúncias como a que está sendo feita. Se assim for, a Globo tomará medidas, como já fez em outras edições do programa”.

Em entrevista à QUEM, Maíra relembrou o namoro. “Era um típico relacionamento abusivo, mas na época não sabia nem o que era feminismo. Saía para assistir a um filme sozinha e ele falava: ‘não faça isso que é perigoso’. Achava que ele estava querendo me proteger. Tem outras situações de violência psicológica que ainda me machucam muito e prefiro não falar. Você sempre acha que está errada e inventando coisas da sua cabeça. Achei que estivesse louca! Foram anos repassando tudo aquilo na minha cabeça. E não acreditaram em mim. Porque ele é muito simpático, carismático”, contou.

Pelo fato de Vanderson estar confinado na época, Maíra disse ter procurado um advogado a fim de se proteger. “Já falei com um advogado porque sei que pode acontecer um processo. Mas tem três meninas que namoraram o Vanderson e também foram agredidas, mas estão com medo de falar. O meu caso já prescreveu. Talvez o caso delas ainda dê para fazer uma denúncia. Elas têm fotos, prints. Estou no processo de conversar com elas para convencê-las. Eu vou enfrentar”, garantiu.

NOVAS DENÚNCIAS
Depois de Maíra Menezes, outras três mulheres foram à Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher Vítima de Violência em Rio Branco (AC) a fim de registrar boletins de ocorrência contra o participante do BBB19. Uma fonte de QUEM teve a acesso aos documentos e descobriu que há denúncias contra o acreano por estupro, agressão física e importunação ofensiva ao pudor. Após a denúncia ser feita, é instaurado um inquérito policial para apurar o caso. Vale lembrar que o inquérito é sigiloso para resguardar as informações e eventuais provas que serão levantadas durante a investigação.

Procurada por QUEM, Vanda Brito, irmã de Vanderson, se surpreendeu ao ser informada sobre os novos boletins de ocorrência. “Quando a ex-namorada dele falou sobre a agressão, nós da família procuramos saber sobre algum boletim de ocorrência e não achamos nenhum. Estou sendo surpreendida com essa notícia agora. Até então houve ameaças de fazerem boletins, mas não houve registro. No momento, nossa família não vai se manifestar. Vamos procurar os nossos direitos e saber o que aconteceu”, declarou ela.

 

 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários




Outras Notícias

Veja Também