Metas do Judiciário: Acre bate meta de julgamentos criminais em 2018


A partir de fevereiro, a Presidência do Colegiado será de responsabilidade do desembargador Elcio Mendes

TON LINDOSO, DO CONTILNET

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC) julgou um número de processos equivalente a 100% da quantidade distribuída para o Órgão ao longo de 2018. De acordo com nota divulgada pelo CNJ, o Conselho Nacional de Justiça, entraram 2.237 novas ações e foi julgado e dado encaminhamento a essa mesma quantidade.

“Além desses, o Colegiado do 2º Grau também julgou 143 casos do número de processos residuais de 2017, que eram 393. Com isso, totaliza-se 2.380 julgamentos realizados pela Câmara Criminal ao longo do ano passado”, comemorou o órgão.

Em função do trabalho de cada um dos membros da Câmara Criminal do TJAC, desembargadores Samoel Evangelista, Pedro Ranzi, Francisco Djalma e Elcio Mendes, foi cumprida a Meta 1 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que propõe que sejam julgados mais processos do que os que são distribuídos durante o ano, para que se possa responder os casos antigos.

Foto: Reprodução -Ilustrativa

“O que tem contribuído para essa produtividade da Câmara Criminal são as ferramentas que a Administração disponibiliza, como o processo eletrônico. Pontuo ainda o comprometimento dos desembargadores Pedro Ranzi, Élcio Mendes e Francisco Djalma, além do compromisso dos servidores. O desembargador Francisco Djalma, por exemplo, zerou o acervo de processos dele em 2018”, comentou o presidente da Câmara Criminal, desembargador Samoel Evangelista.

A partir de fevereiro, a Presidência do Colegiado será de responsabilidade do desembargador Elcio Mendes para o no biênio 2019-2021.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Outras Notícias

Veja Também