Senadora Mailza Gomes oferece ajuda a municípios acreanos atingidos por enchentes


Parlamentar vai solicitar ministro do Desenvolvimento Regional recursos federais para as vítimas de inundação

ASSESSORIA DE IMPRENSA

A senadora Mailza Gomes (Progressistas) está preocupada com a alagação nos municípios de Brasileia, Cruzeiro do Sul, Rio Branco, Sena Madureira e Tarauacá. Ela ligou para os prefeitos desses municípios para prestar solidariedade e se colocar à disposição para ajudar.

O prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, decretou nesta quinta-feira (7), estado de emergência devido à cheia do rio Juruá. A senadora solicitou para a próxima semana agenda com o ministro do Desenvolvimento Regional. Ela pretende, junto com a bancada do Acre, pedir a liberação de recursos para as vítimas da inundação.

Mailza com o ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil), em janeiro deste ano/Foto: cedida

“Tenho acompanhado nos últimos dias o trabalho da Defesa Civil nas áreas inundadas nos bairros Miritizal, Boca do Moa, Várzea e Lagoa, em Cruzeiro do Sul. O prefeito Ilderlei Cordeiro me disse que estará na próxima quarta-feira aqui em Brasília. A união da bancada federal neste momento é importantíssima. Já solicitei agenda com o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canut. Precisamos de recursos federais para as vítimas da enchente”, disse a senadora.

Mailza defendeu que ações preventivas precisam ser feitas para que essa realidade mude. “Todos os anos acontece a mesma coisa, o rio enche, pessoas ficam desabrigadas, produtores rurais perdem suas plantações, famílias que trabalham com agricultura familiar perdem seu sustento. Ações efetivas precisam serem colocadas em prática”, destacou a senadora progressista.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários



Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Outras Notícias

Veja Também