Rio Branco, Acre,





Dona Flor morou dentro de um abatedouro, em Sena, para poder sustentar 11 filhos


Sem dinheiro para construir uma casa, contou com a permissão dos trabalhadores para viver no local onde acontecia o abate diário de animais

ALDEJANE PNTO

A moradora ilustre do bairro da Pista, Flor Carmo da Silva, ou simplesmente Dona Flor, completou neste dia 13 de abril 85 anos idade. Ela é uma dessas mulheres amazônidas com uma linda história de superação a ser contada em jornal: teve 13 filhos, ficou viúva, sem condição financeira e teve que se virar para cuidar dos meninos.

Nessa luta, foi submetida a morar dentro de um abatedouro de bovinos, no bairro onde mora até hoje.

Dona Flor com o filho, empresário bebé Chorão,/Foto: Aldejane Pinto

Atualmente, nos braços de um dos filhos, o empresário “Bebé Chorão”, ela comemora sua história de superação. Segundo a mesma, não tem do que reclamar da vida, pois conseguiu se aposentar e criar os filhos, apesar das dificuldades enfrentadas por vários anos.

A trajetória de dona flor começa na comunidade Paris, próximo a Boca do Iaco, quando casou e veio morar na cidade. Como toda mãe daquela época, logo se encheu de filhos, mas o que ela não esperava era a morte repentina do esposo. Na condição de pai e mãe, se mudou para o bairro da Pista, que estava sendo criado nas imediações do único abatedouro da cidade.

Sem dinheiro para construir uma casa, contou com a permissão dos trabalhadores para viver no local onde acontecia o abate diário de animais e, como recompensa de seu trabalho, recebia as vísceras e um pouco de carne dos bovinos abatidos para dar de comer à família.

Bebé Chiorão, um dos empresários mais bemm sucesidos de Sena Madureira, com a máe e a irmã/Foto: Aldejane Pinto

Com o passar do tempo, sua história mudou de página e ela começou a colher a recompensa. Seus filhos cresceram e mudaram de vida. Um deles é o comerciante Antonio da Silva, o conhecido “Bebé Chorão”, que nos contou a trajetória de vida de sua genitora, a qual considera uma guerreira.

“Tenho orgulho da minha mãe que trabalhou muito para criar a mim e meus irmãos, num total de 11 ainda vivos. Quando meu pai faleceu eu tinha somente 4 anos de idade e foi ela quem fez o papel de pai. Por isso, parabenizo minha querida mãe, dona Flor, por sua história de superação e pelo seu aniversário de 85 anos. Que Deus continue abençoando a nossa família”, disse o empresário.

Para comemorar a data, a família prepara uma confraternização e um momento de oração para a matriarca que, agora, tem uma mesa farta para os filhos.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários




Outras Notícias

Veja Também