Rio Branco, Acre,

Quatro crianças indígenas estão desaparecidas após deixarem aldeia Ashaninka na fronteira com o Peru

Crianças são da comunidade de Saweto e desapareceram enquanto retornavam da aldeia Apiwtxa, em Marechal Thaumaturgo, na fronteira com o Peru.

Quatro crianças indígenas com idades entre 5 e 14 anos estão desaparecidas desde a última terça-feira (09) na fronteira entre o Brasil e Peru. A polícia peruana intensificou as buscas no sábado para procurar pelo grupo.

Segundo o Ministério do Interior do Peru, cerca de 15 policiais, especialistas em busca e resgate de pessoas, estão trabalhando com o apoio de um helicóptero para localizar as crianças que são da comunidade Saweto, localizada na cabeceira do rio Tamaya, na região de Ucayali.

Crianças desapareceram na floresta enquanto retornavam para casa após deixarem a aldeia Apiwtxa/Foto: Reprodução

Ainda de acordo com informações do Ministério, os desaparecidos estavam retornando para casa após deixarem a aldeia Apiwtxa, que faz parte da comunidade indígena Ashaninka, no município de Marechal Thaumaturgo, interior do Acre.

O prefeito do município, Isaac Piyãko, que é um dos líderes indígenas da comunidade Apiwtxa, informou que está a caminho da aldeia para prestar apoio às duas famílias e auxiliar nas buscas.

Três das quatro crianças desaparecidas, com idades entre 4, 8 e 12 anos, são filhos de Leoncio Quinticima, um dos três líderes Ashaninkas mortos em 2014 por madeireiros ilegais, enquanto viajava para a comunidade brasileira.

Até a tarde deste domingo (14) não havia registros do paradeiro das quatro crianças. Além das equipes policiais a comunidade indígena também se mobiliza nas buscas pelo grupo.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários