Rio Branco, Acre,





Decreto de Bolsonaro que flexibilizaria o uso e porte de arma de fogo no Brasil é derrotado


Decreto que facilitaria a venda, uso e porte de armas no Brasil é derrotado por maioria e continuam valendo as regras do Estatuto do Desarmamento

TIÃO MAIA, DO CONTILNET

O decreto presidencial de Jair Bolsonaro que flexibilizaria o uso e porte de arma de fogo no Brasil, facilitando inclusive a compra por cidadãos comuns, foi derrotado na noite desta terça-feira (18) no Senado Federal por 47 votos a 28. Isso significa que o plenário do Senado aprovou o decreto legislativo do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que sustava os efeitos do decreto de Bolsonaro e mantém as regras do Estatuto do Desarmamento. O senador Márcio Bittar (MDB-AC) foi o único dos três senadores do Acre a votar abertamente a favor do decreto.

Bolsonaro sofre derrota/Foto: Divulgação

A derrota do Governo em relação à proposta, uma promessa de campanha do então candidato Bolsonaro, começou a ser construída na última quarta-feira(12), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, quando a proposta de Randolfe Rodrigues foi aprovada e encaminhada ao plenário. Ali, os senadores rejeitaram o relatório do senador Marcos do Val (Cidadania-ES), que recomendava a derrubada dos sete projetos.

O texto agora segue para análise da Câmara dos Deputados. É ali que os aliados de Bolsonaro apostam suas fichas para que o decreto possa vigorar. A data da votação não foi marcada.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários






Outras Notícias

Veja Também