Rio Branco, Acre,


Parte de combustível em barco que explodiu era de vereador do interior: “A culpa não é da gente”

Ele diz que seu irmão retirou todas as pessoas do barco, mas elas retornaram para embarcação

Parte do combustível que estava sendo transportado no barco que explodiu na última sexta-feira (7) no Rio Juruá deixando 17 pessoas feridas (oito delas em estado gravíssimo),  pertencia ao vereador Amaduzim, de Marechal Thaumaturgo.

Entenda o caso: Barco pega fogo no Rio Juruá e cerca de 15 pessoas ficam feridas; vídeo

 

Incêndio ocorreu na última sexta/Foto: reprodução

Em entrevista ao site de Cruzeiro do Sul, Juruá em Tempo, ele disse que esta era a forma que as pessoas do município tinham para transportar o combustível e disse ainda que a responsabilidade não era sua. “Uma parte da gasolina que estava na embarcação era minha. Mas quero comunicar que a responsabilidade não é minha. Eu estava justamente pagando o frete para o proprietário. Mas não deixo de me preocupar e estou abalado com a situação. Estou aqui a disposição às famílias atingidas”, declarou em entrevista.

Vereador disse que a culpa não é dele/Foto: reprodução Juruá Em Tempo

O seu irmão estava no barco e de acordo com o vereador, ele tirou todos do barco, mas as pessoas retornaram. “A culpa não é da gente. Meu irmão havia tirado as pessoas que estavam dentro do barco, algumas ficaram chateada e voltaram para dentro. Não iríamos mandar a gasolina sem o consentimento do dono do barco. Tenho certeza que ninguém está julgando e colocando a culpa em ninguém, temos que orar para que as pessoas fiquem bem”, afirma.

Leia também: Bebê de sete meses estava em barco que explodiu com cinco galões de gasolina

As informações preliminares são de que a explosão ocorreu quando um caminhão fazia o despejava o combustível em recipientes dentro do barco, que seguiria de Cruzeiro do Sul para Marechal Thaumaturgo.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias