Rio Branco, Acre,

Pessoas que tiveram contato com paciente diagnosticado com meningite no Acre serão isoladas em quarentena

Em paciente que veio de Boca do Acre e morreu no PS, foi descartada a meningite

A chefe de vigilância em saúde do Acre, enfermeira Glória Nascimento, falou à pouco com a reportagem do ContilNet e confirmou que, por enquanto, apenas um caso positivo para doença de meningite foi diagnosticado e o paciente encontra-se em tratamento na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Pronto Socorro da Capital.

Entenda: Paciente com diagnóstico de meningite é internado na UTI do Pronto Socorro de Rio Branco

 No entanto, a enfermeira explicou que por ser uma doença de fácil contágio, solicitou que todas as pessoas (parentes e amigos) que tiveram contato com o paciente que veio de Senador Guiomard, sejam isolados e fiquem de quarentena para observação.
Paciente está internado na UTI do Huerb/Foto: reprodução
 
Glória  disse à nossa reportagem, que no caso de um um paciente que morreu  na última terça-feira (18), onde informações circulam de que ele havia sido diagnosticado com meningite não é verdade, o óbito foi ocasionado por uma infecção pulmonar, segundo ela.
“Todos os procedimentos estão sendo tomados com relação ao caso já confirmado de Senador Guiomard.  Já o caso do senhor que veio de Boca do Acre, a causa da morte não foi por meningite. Ele chegou aqui com suspeitas da doença mas isso já foi descartado”, tranquiliza
 
“Estou seguindo agora para o Pronto Socorro para ver de perto o prontuário desse paciente que veio de Boca do Acre. Todos os procedimentos estão sendo tomados. Não há confirmação ainda. De toda forma já solicitamos que esse paciente seja isolado também para evitar qualquer surto epidêmico da doença”, disse preocupada a chefe de vigilância em saúde.
Ainda de acordo com Nascimento, a principal preocupação dela é que geralmente as pessoas não procuram se vacinar contra certos tipos de doenças, como a meningite, por exemplo, que pode ser fatal.
 
“Estamos em alerta. Sabemos que pela cultura das pessoas quase ninguém imagina que doenças graves não erradicadas ainda podem surgir e nem sempre as pessoas se vacinam e estão imunes. Já solicitamos também que todas as pessoas  que tiveram qualquer contato com esses pacientes sejam isolados para observação, meningite é muito grave e pode levar à morte”, alerta.
 
Na próxima segunda-feira (24), a Secretaria de Saúde deve conceder uma entrevista coletiva para falar sobre os casos registrados e diagnosticados de meningite no Acre.
“Amanhã cedo estaremos seguindo para Senador Guiomard para tomar todas as providências necessárias. Nossas equipes estão atentas para que isso não se transforme em algo pior. Esse tipo de meningite que foi diagnosticado não tem cura e é muito grave”, advertiu a chefe de vigilância.

Sobre a doença:

A meningite é um processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Ela pode ser causada por diversos agentes infecciosos (bactérias, vírus ou fungos).

A meningocócica é uma meningite bacteriana e, junto com a pneumocócica, é considerada uma das formas mais graves e preocupantes da doença.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico das meningites é feito por meio de exames de sangue e líquido cerebroespinhal (líquor). São eles que determinarão o tipo da doença e, com isso, a conduta que será adotada pelos médicos.

No caso das bacterianas, o tratamento é feito com antibióticos, associados ou não a corticóides, de 7 a 14 dias. A internação normalmente é necessária.

Nas virais, dependendo do agente, é preciso ministrar antivirais e corticóides por cerca de uma semana. Em geral, as pessoas são internadas e monitoradas quanto aos sinais de maior gravidade.

Por fim, nas meningites fúngicas, a prescrição é de antifúngicos por 4 a 12 semanas, também escolhidos com base no microorganismo identificado no corpo do paciente.

Prevenção

Demetrius Montenegro, do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC), da Universidade de Pernambuco (UPE), diz que para alguns dos agentes infecciosos causadores da meningite existem vacinas.

“Elas são oferecidas para crianças e adolescentes o ano todo na rede pública de saúde. Adultos que tenham alguma doença crônica, como diabetes e cardiopatias, ou estejam fazendo tratamento contra câncer também devem recebê-las”, indica.

As disponíveis no calendário de vacinação do Programa Nacional de Imunização (PNI) são: meningocócica conjugada sorogrupo C, pneumocócica 10-valente (conjugada), pentavalente e BCG.

As vacinas ACWY, contra quatro tipos de meningite, e a vacina contra a meningocócica do grupo B estão disponíveis apenas na rede particular.

Além desta proteção, o médico recomenda evitar passar muito tempo em ambientes fechados e cheios de pessoas; manter, sempre que possível, a casa e o local de trabalho bem ventilados, inclusive no inverno, e cuidar da higiene pessoal.]

Com informações da BBC Brasil

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você