Rio Branco, Acre,


Ginasta Jade Barbosa se machuca e Brasil fica fora do Mundial de Ginástica

Depois de quatro participações em Olimpíadas como time, país só garante uma vaga individual no feminino em Tóquio. Flávia Saraiva avança a três finais, e Simone Biles brilha

Jade Barbosa virou de costas e só rezou. Não conseguiu ver o Brasil se apresentar no Mundial de Ginástica e não pôde ajudar neste sábado. Medalhista de um Mundial justamente em Stuttgart, a ginasta lesionou o joelho direito no salto, logo no primeiro aparelho. Um desfalque que foi decisivo para o Brasil ficar fora da Olimpíada de Tóquio 2020 como equipe, quebrando uma sequência de quatro participações nos Jogos. Flávia Saraiva garantiu um posto individual para o país, além de três finais na Alemanha, mas não teve muito motivo para comemorar com o Brasil na 14ª posição.

Jade Barbosa salta e sente o joelho

Simone Biles, por outro lado, brilhou. A grande estrela da competição se garantiu em todas as seis finais do Mundial de Stuttgart e conseguiu seu grande objetivo: realizou com perfeição duas novas acrobacias, colocando seu sobrenome no código de pontuação mais duas vezes.

Por estar na última rotação ao lado da já classificada equipe dos Estados Unidos, o Brasil já entrou em ação sabendo exatamente quantos pontos precisava somar para se garantir em Tóquio 2020. A Espanha era o time a ser batido, com 159,021 pontos. Em relação ao bronze do Pan de Lima, as brasileiras precisariam crescer pelo menos meio ponto. Só que a lesão de Jade foi crucial. Ela tinha uma nota importante nas barras assimétricas e deixou a trave e o solo sem notas de descartes. O Brasil somou apenas 157,596 pontos e acabou atrás não apenas da Espanha, como também da Austrália.

Graças a Flávia Saraiva, o país ainda levou uma vaga olímpica através da disputa do individual geral. Ela foi a 11ª colocada, somando 54,932 pontos, e avançou à final. Flavinha também conseguiu pela primeira vez ir a uma decisão da trave em Mundial, ficando na quinta posição, com 13,700 pontos depois de ter sua nota aumentada em 0,3 com um protesto do Brasil. A terceira final de Flavinha vai ser no solo. Quinta colocada no aparelho no Mundial do ano passado, ela foi a sétima em Stuttgart, com 13,833 pontos.

Flavinha garantiu uma vaga individual ao Brasil em Tóquio 2020, mas a vaga é do país, não da atleta. O Brasil ainda pode conseguir mais vagas individuais no Circuito da Copa do Mundo e no Campeonato Pan-Americano do ano que vem.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias