Rio Branco, Acre,


Ninguém vai te chamar a atenção por atrasar. É isso mesmo?! Parte 1

É fácil se enganar que a liberdade de horários é sinal que a responsabilidade diminuiu e esse erro pode custar muito caro

É normal por estar no ambiente doméstico, que o trabalhador iniciante em home office, como diria minha mãe, confunda liberdade com libertinagem. Claro que é uma expressão exagerada se interpretada literalmente, mas de fato é muito fácil mergulhar na procrastinação. O que o trabalhador em home office precisa ter em mente, é que apesar de não ter um chefe fisicamente na cola, os prazos continuam sendo importantes e o conforto do lar não pode permitir que sua produtividade caia.

Vamos dividir em dois tipos de cobrança de produtividade, separados em um artigo para cada. No primeiro caso, temos os empregos onde o trabalhador ganha pelo que produz. Cabe a ele definir a quantidade de horas que precisa trabalhar. Porém não é tão simples. Existem contas, despesas e metas. Com base nisso é que se calcula quanto vai se trabalhar para atingir esses objetivos financeiros. Nessa situação, os perigos estão nos extremos: nem se pode cair na procrastinação, como também não se deve seguir um ritmo exagerado a ponto de afetar a saúde.

O planejamento aqui é fundamental. Vou listar dicas para realizar de forma mais eficiente o trabalho, sendo que a produtividade é o mais importante:

1) Organize e realize todas as tarefas pessoais antes de começar. Utilize a seu favor a grande carta na manga para quem trabalha por produtividade: a flexibilidade de tempo. Prepare sua alimentação antes, assim você não passará fome, nem será refém de uma alimentação inadequada e não perderá tempo a mais com o preparo.

2) Anote todas as tarefas fora do trabalho a serem executadas em uma folha de papel e as cumpra. Encare como se fosse um ‘pequeno jogo’, onde a graça está em riscar a maior quantidade de tarefas executadas. Tem que passar no banco para resolver alguma pendência? Vá antes. Tem limpar a casa? Risque essa obrigação e ainda trabalhe num ambiente mais agradável e limpo.

3) Use a Técnica Pomodoro. Tal técnica visa evitar fadigas mentais, que com o passar do dia vão atrapalhando sua produtividade. O “Pomodoro” consiste em trabalhar com 100% do foco, eliminando qualquer distração por mais banal que pareça, durante 25 minutos. Passado esse tempo, dê um intervalo de 5 a 10 minutos para descanso e lazer mental. Ver uma rede social, ligar um pouco a TV, conversar com algum amigo ou familiar, tudo que te relaxe a cabeça. Trata-se de um método relativamente famoso e comprovado. Pessoalmente, recomendo muito.

4) Estipule e siga um máximo e um mínimo de horas de trabalho por dia. Isso é muito importante, afinal não é difícil criar mentalmente desculpas tanto para terminar mais cedo, quanto sobre aguentar algumas horas a mais. Tenha cuidado, pois o que parece ser uma exceção, com facilidade vira a regra e um ciclo vicioso, que a longo prazo pode afetar sua saúde financeira, psicológica e física.

5) Faça exercícios e alongamentos. Entre as pautas futuras da coluna FREELAS, está o cuidado com o preparo físico. Procure a ajuda de profissionais e não deixa de realizar uma atividade física, de preferência uma que goste, para não se tornar algo maçante.

6) Por último, caso conviva no mesmo teto com outras pessoas, converse e deixe claro que apesar de estar em casa, aquele momento do trabalho é sagrado. Você não está disponível, exceto para urgências. O respeito com seu ganha pão é importante inclusive em regime de home office. Caso more só, procure locais tranquilos. Sua concentração é valiosa demais para ficar em segundo plano.

Na continuação desse tema, vamos trazer para a próxima coluna os casos de trabalho onde, apesar de executados em casas, são fornecidos cronogramas tal qual trabalhasse no ambiente de uma empresa ou instituição. Até lá!

Twitter: @helderjr

Instagram: @helderjrac

E-mail: [email protected]

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias