Rio Branco, Acre,


Operação da Polícia Civil e do MP prende mulher de acusado de matar Marielle Franco

'Submersus' cumpre cinco mandados de prisão contra alvos ligados a Ronnie Lessa. Investigadores acreditam que Elaine, mulher do principal suspeito de morte de Marielle, planejou sumiço de armas usadas no crime

A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio cumprem, na manhã desta quinta-feira, cinco mandados de prisão contra alvos ligados ao sargento reformado da PM Ronnie Lessa . Alvo de um dos mandados, ele já está preso na Penitenciária Federal de Porto Velho e é apontado como o assassino da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes. Outros alvos da operação “Submersus” são a própria mulher de Lessa, Elaine de Figueiredo Lessa , e o irmão dela, Bruno Figueiredo , além de dois supostos cúmplices do policial. Até 7h35, quatro pessoas já haviam sido presas: Elaine, Bruno, José Márcio Mantovano, o Márcio Gordo e Josinaldo Lucas Freitas, o Djaca. Todos foram detidos por ocultação de arma.

Por determinação do juízo da 19ª Vara Criminal da Capital, também foram expedidos 20 mandados de busca e apreensão , um deles contra um suspeito de integrar um grupo de matadores de aluguel que teria como principais clientes contraventores cariocas.

Polícia Civil e MP cumprem mandados de prisão contra esposa e cunhado de PM acusado de matar Marielle Franco Foto: Fabiano Rocha / Fabiano Rocha

Elaine vestia um casaco jeans quando foi presa, por volta de 7h20. Ela foi conduzida até o carro da polícia sem algemas. Vizinhos de condomínio acompanhavam das sacadas a movimentação no local.

Seu irmão Bruno chegou à Delegacia de Homicídios da Capital (DH), na Barra da Tijuca, por volta de 7h35. O advogado de Bruno Figueiredo, Fernando Santana, o mesmo de Ronnie Lessa, disse que só falará com à imprensa depois de “tomar ciência das acusações”.

Já Márcio Gordo havia sido detido mais cedo.

A coordenadora do Gaeco, Simone Sibílio, comandou a busca e apreensão no alvo principal: a casa de Elaine. O advogado de Bruno Figueiredo, Fernando Santana, que defende Lessa, a mulher do sargento reformado e Figueiredo, disse que a arma encontrada na casa de Elaine é um fuzil Airsoft.

– Tanto Ronnie Lessa quanto Bruno comercializam armas de Airsoft. Esta arma já estava na casa de Ronnie da outra vez. Por que não apreenderam antes? Como é que a minha cliente pode ser presa? Ela é apenas esposa de um comerciante. Quiseram chamar atenção para o interrogatório do Ronnie Lessa, que acontece amanhã – disse Santana.

Segundo o advogado, Elaine se mudou logo depois da prisão do marido, para um imóvel em um condomínio no número 3200 da Avenida Sernambetiba, na Barra, que é de propriedade do casal. Antes, ela morava no condomínio no número 3100 da mesma via, onde o presidente Jair Bolsonaro tem uma casa. Os dois condomínios se chamam Vivendas da Barra. A atual residência de Elaine ocupa apenas um andar, mas é de alto padrão.

As buscas na casa da mulher de Lessa começaram às 5h40m e terminaram às 7h24. Os policiais estão revistando o local em busca de documentos e armas, pois Elaine tem CR de colecionadora de armas e, segundo investigadores, também atira.

Josinaldo Lucas Freitas, o Djaca, é um dos alvos da operação desta quinta-feira Foto: Reprodução

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias