Rio Branco, Acre,


Prefeito de Capixaba manobra para esvaziar relatório de CEI que o investiga; veja vídeo

Os vereadores titulares estão cedendo lugares à suplentes a fim de garantir maioria na comissão

O prefeito de Capixaba, município a 77 quilômetros da Capital Rio Branco, Antônio Cordeiro, o “Joãozinho”, que também é conhecido por “Bode”, começou a trabalhar para esvaziar a CEI (Comissão Especial de Investigação) criada pela Câmara Municipal para investigar sua administração. O prefeito é acusado de, juntamente com duas assessoras de confiança, as irmãs Janete e Ruth Frank, de utilizarem pessoas da cidade como “laranjas” para se apropriarem de recursos públicos. A CEI foi criada há 15 dias para investigar a suspeita. A Prefeitura agora manobra para substituir vereadores na Câmara Municipal.

As substituições devem ocorrer já nas próximas sessões. O vereador Teio, do PP, vai ceder lugar à suplente Clemilda, do MDB. O vereador Jorge Capoeiro, do PT, também vai se afastar para ceder vaga ao suplente Barroso, outro petista que atualmente está exercendo a direção de uma escola na zona rural de Capixaba, num cargo de confiança do prefeito “Joãozinho”.

Com a troca de vereadores, o prefeito continua a garantir os votos necessários a permanência no cargo qualquer que seja o relatório da CEI que o está investigando. Se seis dos nove vereadores, um terço, votarem pelo afastamento, o prefeito teria o mesmo destino do titular, José Augusto, afastado do cargo há quase um ano pelas mesmas acusações agora atribuídas a “Joãozinho”, que era o vice-prefeito. Assumiria o cargo então o presidente da Câmara, vereador Richard Lima (PSDC).

Com os dois suplentes no lugar dos vereadores titulares, o prefeito Joãozinho continua a ter maioria e só seria afastado caso os depoimentos das pessoas intimadas a depor na CEI sejam por demais escandalosos. Mas, em matéria de escândalos, Capixaba parece mais produtiva que a usina de beneficiamento de álcool instalada no município nos anos 80 e que consumiu fortunas em dinheiro público sem nunca produzir. Os vereadores proponentes da CEI– Chico Gomes (PSB), presidente, Geane Silva (PSDB), relatora, e Gedeão Silva (PDT), membro – já sabem quem vão chamar para depor.

A primeira pessoa a depor deve ser uma jovem de 23 anos, filha de uma senhora que trabalha num ateliê de costura pertencente à mãe da secretária municipal Sara Frank, pessoa de confiança do prefeito. Nos primeiros contatos com os vereadores e a com a Polícia Federal, que também investiga o caso, a jovem disse que, embora contratada para receber salário mensal acima de 1 mil, ficava com apenas R$ 50,00. O resto ficava com Sara Frank.

Outra pessoa a depor deve ser a esposa de José Izael Braz de Souza, funcionário, no cargo de estoquista, de um supermercado de Capixaba, o Armazén Santo Antônio. Maria, a esposa de José Izael, é empregada doméstica na casa de Sara Frank, com um salário mensal de R$ 500,00. Ela contou que, ainda no passado, sua patroa a indagou se ela não tinha uma conta da Caixa Econômica através da qual ela pudesse lhe repassar algum dinheiro e seu salário. Maria disse que ela não dispunha de conta, mas que seu marido tinha e iria falar com ele. Foi assim que a conta de número 013.000012117-5, em nome de José Izael Braz de Souza, passou a receber mensalmente depósito de R$ 1.500,00, dos quais eram sacados R$ 1.475,00 – o resto ficava retido por conta de impostos. Os recursos seriam em pagamento a serviços prestados por José Izael à Secretaria Municipal de Assistência Social, na qual o rapaz nunca esteve e nem viu a coro do dinheiro, ele disse aos vereadores. A titular da secretária de Ação Social é Sara Frank, que chegou a ser vista pagando contas em Senador Guiomard com o cartão em nome de José Izael.

Outro caso não menos escandaloso é o que trata de um prédio que um dia se chamou emenda de autoria do então deputado federal Sibá Machado (PT), na região da Alcobrás. O prédio está abandonado desde que foi construído, tomado pelo mato. Mas o Portal da Transparência do Município informa que estão sendo pagos vigias e zeladores para um prédio em completo abandono, denunciaram na tarde desta terça-feira (2) os vereadores Chico Gomes e Gedeão Silva, que estiveram no local onde deveria funcionar o centro tecnológico, inclusive com gravação de vídeo.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias