Rio Branco, Acre,


Raimundão diz que entre novos filiados do Progressistas existe “lobo em pele de cordeiro”

Além de vice, Raimundão é funcionário da Dom Porquito e não tem tempo para fazer política

“Lobos em pele de cordeiros”

O vice-prefeito de Epitaciolândia, Raimundão, disse nas redes sociais que o partido do governador não precisa de ‘lobos em pele de cordeiros”. A critica pesada é contra a filiação de prefeitos que acontece na próxima sexta-feira, 11, em Rio Branco. Um dos novos filiados será o prefeito Tião Flores, de Epitaciolândia.

Base forte

Raimundão não citou o nome de Flores como sendo um dos “lobos”, mas disse que o caminho que deveria ser adotado pela regional do Progressistas era o fortalecimento da base. “Base forte, partido forte”, acrescentou a liderança. Como a coluna adiantou, a proposta de reeleição dos prefeitos que vão assinar ficha de filiação no partido do governador, vai dar pano pra manga.

Sem eco

A crítica velada feita por Raimundão acabou não tendo muito eco nas redes sociais compartilhadas pelos progressistas. O vice-prefeito é acusado por não agregar forças no Alto Acre. Além de vice, Raimundão é funcionário da Dom Porquito e não tem tempo para fazer política. Talvez esse tenha sido o principal motivo do mesmo não ter se credenciado como pré-candidato.

Homem de acordo

Raimundão é um filiado que cumpre acordo, esse mérito ninguém tira, mas, segundo os próprios aliados da região, lhe faltou tempo para cuidar da sigla e da própria evolução na política local. Se Flores for pré-candidato a reeleição pelo partido do Palácio Rio Branco, o caminho de vice estará bloqueado para o Raimundão.

Padres em extinção

A proposta do Vaticano de colocar os chamados “viri probati” homens casados de fé comprovada para administrar espiritualmente comunidades na Amazônia é uma confissão da falta de padres na região. Documento divulgado pelo Vaticano ressalta que as comunidades amazônicas enfrentam dificuldade para celebrar a Eucaristia por falta de sacerdotes.

Papa ambientalista

O Papa Francisco continua chamando atenção do mundo através de sua oratória. Ele usou uma metáfora para dizer que a devastação da Amazônia ocorreu por “interesses que destroem”. Usando a metáfora do fogo em todo o seu sermão, ele defendeu que a região amazônica precisa do “fogo do amor de Deus”, que não é devorador, mas “aquece e dá vida”.

Hermenêutica

Por meio desse símbolo do fogo, Francisco faz referência à passagem bíblica do Antigo Testamento em que o profeta Moisés conversa com Deus por meio de um arbusto ardente. Assim, o Papa disse que a Amazônia precisa desse tipo de fogo, que ele chama de “fogo da missão”, e não do fogo “que vem do mundo” e “devora povos e culturas.”

Pires nas mãos

Não era esperado que o governador Gladson Cameli tivesse que esticar o pires e sair peregrinando de porta em porta nos gabinetes de deputados federais e senadores, para a destinação de emendas ao estado. Os governos da FPA conseguiram esse feito sem muitas explicações. E olha que Cameli pegou o estado em uma situação pior economicamente.

Estranha manifestação

É estranha a manifestação do senador Sérgio Petecão (PSD-AC) ao afirmar que os parlamentares é que mandam em suas emendas. Isso cheira a fogo amigo. O mais comum seria o líder da bancada, ajudar o estado a conscientizar os demais parlamentares a cederem recursos para saúde e educação.

Turma do incêndio

Aquela turma que gosta de incendiar os debates palacianos já colocaram gasolina no fogo, muitos orientam o governador a cortar todos os cargos destinados aos parlamentares da bancada federal, ou daqueles que se recusarem a ajudar com as emendas.

Receita deu certo

Segundo os aloprados, essa receita teria dado certo na relação institucional com os deputados da base na Assembleia Legislativa. O caminho adotado pelo governador, é claro, foi o de dialogar. Desde segunda-feira que Cameli ao lado do representante do escritório do Acre em Brasília, Ricardo França e a secretária de planejamento, Maria Alice, batem nas portas dos gabinetes em busca de conscientização dos parlamentares.

Senadora parceira

A senadora Mailza Gomes tem sido uma parceira no movimento feito pelo Palácio Rio Branco para a liberação de emendas ao governo do Acre. Se juntou ao governador Gladson Cameli e vem dando quórum à liberação de recursos que serão destinados principalmente para a saúde pública, um dos maiores gargalos dessa gestão.

Amigo da hora

O Senador Marcio Bittar (MDB) também tem sido um amigo da hora do Palácio Rio Branco. Bittar tem percorrido os ministérios e liberado recursos para o governador Gladson Cameli. Este ano o medebista liberou R$ 5,5 milhões s problemas das cheias no inverno e a ameaça de desabastecimento de água durante os verões mais intensos. Segundo Marcio Bittar, o Bacia do Rio Acre contempla ainda melhorias no sistema de esgotamento sanitário da Capital e de outros quatro municípios do interior.

Inconstitucional

A Lei do deputado Roberto Duarte que proibia a cobrança de taxa de religação, principalmente, nas contas de energia, pode ser considerada inconstitucional. A promotora Alessandra Marques disse que se considerada ilegal, a lei pode custar caro aos consumidores que poderão ser obrigados a pagar valores retroativos.

Aspas

(…) o mesmo que ocorreu recentemente com a ação civil pública que, na Justiça Federal, discutia os valores da tarifa, a mudança na tutela de urgência pelo TRF fez com que todos os consumidores tivessem que pagar, em seguida, retroativamente, pelo serviço com o aumento autorizado pela ANEEL, fazendo com que o Ministério Público tivesse que discutir modos de amenizar o valor da tarifa (…) diz o documento do MPE.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias