Rio Branco, Acre,


Quase 90% não tem acesso à coleta de esgoto e água potável no Acre

Governo traça novo plano de saneamento que deve ser executado nos próximos anos, diz pesquisa

De acordo com o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), mais de 780 mil acreanos não têm acesso ao serviço de coleta de esgoto.

Os dados apontam ainda que 460 mil moradores do estado sofrem com a falta de água potável para beber, cozinhar alimentos e lavar as mãos – medidas importantes para combater o novo coronavírus.

PUBLICIDADE

O último senso do Instituto Brasileiro de Geografia e Pesquisa (IBGE) mostra que o Acre tem 869.265 habitantes. Sendo assim, quase 90% da população não é beneficiada com recurso de ordem sanitária.

“Dados do Painel Saneamento Brasil ilustram essa realidade nas duas maiores cidades do estado. Em Cruzeiro do Sul, os 87 mil moradores (100%) não têm acesso ao serviço de coleta de esgoto e quase 42 mil não são abastecidos com água tratada. Na capital, os efluentes de 79% dos mais de 400 mil habitantes não são recolhidos, enquanto 47,3% da população não recebem água potável nas torneiras (quase 190 mil pessoas)”, diz a pesquisa.

“O governo estadual traça um novo plano de saneamento que deve ser executado nos próximos anos por meio de parceria público-privada (PPP). O objetivo é universalizar a água tratada e a coleta de esgoto nos 22 municípios. Segundo estudo de concessão via Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Acre pode oferecer serviços de água a toda a população em cinco anos e de esgoto, em 12”, concluiu.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

× Faça sua denúncia