Rio Branco, Acre,


Mailza defende reabertura de igrejas no AC “com novas medidas contra a Covid-19”

De acordo com a senadora, as igrejas estão orientadas a seguir todas as recomendações dos especialistas em Saúde

A senadora Mailza Gomes (Progressistas-AC) defendeu nesta quarta-feira, 24, que igrejas evangélicas e templos religiosos sejam abertos para realização de cultos, reuniões e missas e que as igrejas devem adotar novas medidas contra a Covid-19 e atender protocolos de segurança sanitária, previstos no decreto estadual.

De acordo com Mailza, é importante os templos seguirem todas as recomendações de prevenção e reiterou ainda que a abertura deve ser feita com responsabilidade, limite de público de 30%, álcool gel, máscaras, distanciamento de um metro e reuniões de no máximo uma hora são medidas a serem adotadas.

PUBLICIDADE

“Temos plena consciência de que estamos vivendo um momento de pandemia no mundo, mas com bom senso, responsabilidade e cuidados é importante que as igrejas voltar a funcionar. O espírito também precisa de cuidados, e a igreja tem esse papel fundamental, de ajudar e contribuir com o crescimento espiritual das pessoas, seja com uma palavra amiga, seja por meio de orações”, disse a senadora.

A parlamentar ressaltou ainda mesmo com os templos não abertos, os pastores estão dando apoio às pessoas com cultos online, lives e até ligações. “Diante do atual cenário e possíveis flexibilizações de isolamentos, não seria justo deixar as igrejas de fora, levando em consideração as relevantes atividades que ela desempenha. As igrejas vão poder contar com o comando dos pastores e seu líderes que darão todas as orientações ao público de higiene, o uso de máscara e de distanciamento entre pessoas para se adequar a reabertura gradual e limitada dos cultos presenciais”, finalizou.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

× Faça sua denúncia