Rio Branco, Acre,


Destaque do Vasco, Cano marcou mais gols que Cristiano Ronaldo em 2019

Ele é o maior goleador da história do Independiente Medellín, da Colômbia, e, em 2019, marcou mais gols que Cristiano Ronaldo

O Vasco venceu o São Paulo por 2 a 1, no último domingo. O atacante Germán Cano foi quem fez os dois gols da equipe carioca. Poucos sabem, contudo, que o argentino está acostumado a balançar as redes por onde passa. Ele é o maior goleador da história do Independiente Medellín, da Colômbia, e, em 2019, marcou mais gols que Cristiano Ronaldo.

Germán Ezequiel Cano Recalde nasceu na cidade de Lomas Zamora, ao sul de Buenos Aires. Foi na capital argentina que ele deu seus primeiros passos no futebol. Em 2006, Cano foi integrado às categorias de base do Lanús e, dois anos mais tarde, ascendeu ao elenco profissional.

PUBLICIDADE

Sua ascensão, contudo, pode não ter sido benéfica. Pelo menos não para que o jogador evoluísse no cenário nacional. Em 2008, ano de sua estreia no profissional, o Lanús havia acabado de conquistar o título do Campeonato Argentino e possuía um elenco bem definido. No ataque, Cano tinha que disputar espaço com José Sand, considerado um dos destaques do time campeão.

Cano não conseguiu uma vaga dentre os titulares do Lanús e passou a ser emprestado. Entre 2009 e 2011 o atacante passou por clubes argentinos, paraguaios e colombianos. E foi justamente na Colômbia que ele se destacou. Sua boa passagem no Deportivo Pereira chamou a atenção do Independiente Medellín, que o recrutou, em 2012.

Em 99 jogos vestindo a camisa da “Equipo Del Pueblo”, Cano marcou 54 gols. Mais da metade deles, em 2014, quando balançou as redes adversárias 29 vezes. Sua primeira passagem pelo Independiente Medellín, apesar de expressiva no número de gols, não lhe rendeu títulos e, em 2015, o atacante migrou para o futebol mexicano.

“No Lanús, naquela época estava Pepe Sand, Laucha Acosta e sabia que era impossível jogar. Pedi permissão para ir a outro time onde eu poderia me mostrar mais. Em Chaca me dei bem, além de não marcar tanto. Joguei vários jogos, era o que eu queria. Em Colón não me correu bem nos primeiros seis meses e tive de partir. Na Argentina, faltou continuidade. Decidi sair para encontrar o meu lugar e hoje consegui encontrá-lo”, disse o atacante, em entrevista ao site da Libertadores.

Em dois anos, Cano passou por Pachuca e León, mas não obteve o mesmo desempenho em número de gols que atingiu em Medellín. Em 2017, no Pachuca, ele conquistou a Liga dos Campeões da Concacaf, o que lhe garantiu uma vaga para o Mundial de Clubes. No entanto, sua equipe não chegou à final. Foi eliminada para o Grêmio, então campeão da Libertadores.

No ano seguinte, Cano decidiu voltar ao Independiente Medellín. Dessa vez, para entrar na história do clube. Se em sua primeira passagem o atacante já havia obtido um bom desempenho, a segunda foi melhor ainda. Em 97 jogos, o argentino marcou 75 gols. Ao todo, são 129 gols pela equipe colombiana, o que lhe garantiu o título de maior artilheiro da história do clube de Medellín.

A temporada passada foi a melhor da carreira de Cano. Além de marcar 41 gols e ficar na frente de Cristiano Ronaldo, que, no mesmo período marcou 39, o atacante venceu a Copa da Colômbia, o que garantiu uma vaga na pré-Libertadores ao Independiente. Apesar do bom resultado, Cano decidiu deixar o clube colombiano mais uma vez. Em dezembro de 2019, aos 31 anos, o atacante foi anunciado no Vasco.

“Torcedor vascaíno, eu estou aqui em Buenos Aires. Nas últimas semanas, vocês pediram para o Vasco contratar um atacante. Por tudo o que vocês fizeram no último mês, ultrapassando a marca de 185 mil sócios, vocês merecem essa contratação. Hoje o Vasco tem essa referência: é o Germán Cano”, disse o presidente Alexandre Campello, no Twitter.

O artilheiro de Medellín assinou um contrato de dois anos com o clube carioca. Ele acredita que o futebol brasileiro pode colocá-lo em destaque, já que é mais intenso e competitivo. Após quatro temporadas na Colômbia, ele busca a naturalização e não descarta um dia integrar a seleção de Carlos Queiroz.

“Seria um sonho que meu filho (colombiano) me veja com a camisa da Colômbia. Seria lindo! Em outro momento não esperava isso. Mas hoje me permito sonhar”, disse Cano, em entrevista ao site MSN, antes de ser integrado ao Vasco.

 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up