Rio Branco, Acre,


Ex-jogador do Vasco vai indenizar em R$ 60 mil filhas de professora morta em acidente no AC

Marcelo foi preso e condenado a 7 anos e 8 meses pelo crime de homicídio doloso

Foi decidido pelo Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), nesta última semana, que o ex-jogador de futebol Marcelo Lopes Souza, conhecido como Cabeção, terá que pagar às duas filhas da mulher que matou atropelada R$ 60 mil de indenização.

A vítima fatal do acidente que aconteceu em 2015 foi Sebastiana Soares Moreira.

PUBLICIDADE

Também foi penalizada e pagará indenização a proprietária do veículo que Marcelo dirigia.

A professora morreu em 2015/Foto: Reprodução

O acidente aconteceu na Rua Rio de Janeiro. De acordo com a polícia, o ex-jogador estava dirigindo alcoolizado e em alta velocidade. A motocicleta conduzida por Sebastiana foi atingida nas proximidades do cemitério São João Batista.

Marcelo foi preso e condenado a 7 anos e 8 meses pelo crime de homicídio doloso, mas responde no regime semiaberto.

A sentença, da juíza de Direito Zenice Mota, considerou a responsabilidade civil subjetiva solidária (compartilhada) dos réus pelo sinistro, impondo-se o dever de indenizar as autoras da ação, “pela perda abrupta da mãe e decorrente desestruturação familiar”, uma vez que a vítima fatal era divorciada e principal responsável pelo sustento da casa onde vivia com as duas filhas.

A magistrada destacou a existência de provas suficientes no processo, ressaltando, principalmente, a condenação do réu na esfera criminal pelo acidente que resultou na morte da vítima. O sinistro ocorreu nas imediações da rua Rio de Janeiro, quando a vítima se preparava para realizar uma conversão à esquerda em sua motocicleta.

A decisão cível assinala depoimentos de testemunhas, entre moradores e transeuntes, que presenciaram o acidente, sendo todos harmônicos ao afirmar que o acusado havia acabado de realizar, em alta velocidade, pela contramão, a ultrapassagem sucessiva de três veículos quando colidiu contra a motocicleta da vítima, um outro veículo e, por fim, contra um poste da rede elétrica.

“A tragédia foi capaz de mudar o curso da vida de todos. Capaz de causar dor, sofrimento, angústia, saudade, revolta, tristeza. Impossível de ser reparada, revertida, amenizada, compensada, decorrente a desestruturação familiar ocorrida em face da perda do ente querido”, lê-se na sentença.

Além dos R$ 60 – R$ 30 para cada um dos autores -, os dois deverão arcar juntos com as despesas de funeral, no valor de R$ 2.500,00. A indenização por danos materiais, no que se refere ao conserto da motocicleta, foi no entanto rejeitada, pois as autoras não apresentaram provas nesse sentido.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up