Rio Branco, Acre,


Bebê acreano que lutava contra síndrome rara morre: “Deus decidiu levar meu menininho”

O corpo de Arthur será trazido para o Acre, onde será velado, de acordo com a família

Com pouco meses de vida, o bebê Arthur Levi, que lutava contra uma síndrome rara – imunodeficiência combinada severa (SCID) – que o deixava sem imunidade para combater doenças, faleceu nesta terça-feira (15), após morte cerebral.

Arthur saiu do Acre com os pais, Hamilton de Souza e Anne Hellida da Costa, para fazer um tratamento em Curitiba, no Sul do Brasil, onde estão até esta terça-feira (15). Lá, o bebê ainda recebeu doação do pai no transplante de medula.

PUBLICIDADE
Arthur com o pai e a mãe/Foto: Arquivo pessoal

SAIBA MAIS: Família faz vaquinha para custear tratamento de bebê com síndrome rara no Acre

No pós transplante, o bebê ainda chegou a receber bem a doação, mas piorou, precisou ser entubado e teve morte cerebral confirmada nesta segunda-feira (14). Na manhã desta terça-feira (15), o coraçãozinho do pequeno já não batia mais.

“A medulinha dele pegou mesmo estando em condições críticas, mas ontem foi constatado morte cerebral, daí ficamos aguardando, ou Deus fazer o milagre ou o coraçãozinho parar de bater. E assim, a vontade de Deus prevaleceu. Ele decidiu levar meu menininho”, disse a mãe à reportagem do ContilNet. 

Para conseguir salvar o filho, os dois fizeram uma vaquinha na internet para arrecadar fundos/Foto: Reprodução

A família viajou com ajuda de amigos, familiares e internautas, que fizeram uma vaquinha na internet, para conseguir custear o tratamento e as estadias no local. 

O corpo de Arthur será trazido para o Acre, de acordo com a família.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up