Rio Branco, Acre,


Comerciante deve esperar até 12h para poder velar o marido assassinado

Segundo normas internas do IML, cadáveres que derem entrada após às 18h só serão liberados no dia seguinte

A comerciante Márcia Jardim se sentiu consternada ao receber a notícia de que não poderia velar o marido ainda na segunda-feira (28), na data da morte. Ela foi informada pelo plantonista do Instituto Médico Legal que há uma norma interna que diz que os cadáveres que derem entrada após às 18h só serão liberados no dia seguinte. E o corpo de Edson Barbosa da Silva Neto – vítima de assassinato – chegou ao necrotério às 20h30.

Mesmo com a necrópsia concluída e ausência de covid-19, a família foi orientada a aguardar até a manhã de terça-feira para dar seguimento à despedida, com velório e enterro. Ou seja, uma espera angustiante de pelo menos 12h. A esposa ainda pediu para ver detalhes do documento, mas o pedido não foi atendido. O ContilNet entrou em contato com o IML por volta das 22h, mas ninguém atendeu.

PUBLICIDADE

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up