Rio Branco, Acre,


Pais “vendem” recém-nascido para pagar a conta do hospital na Índia

O casal alega que foi coagido a deixar a criança para pagar a dívida; já o hospital afirma que eles entregaram o bebê para adoção por vontade de própria

O nascimento de seu sexto filho se transformou em um pesadelo para um casal em Agra, no norte da Índia. Segundo reportagem do jornal Times of India, Shiv Charan e a mulher Babita afirmam que foram coagidos a deixar seu bebê no hospital para pagar a dívida de seu próprio nascimento.

Babita, de 36 anos, deu à luz no dia 24 de agosto por meio de cesariana. A conta do hospital ficou em 35 mil rúpias indianas (cerca de 480 dólares ou 2,6 mil reais), mas a família não tinha como arcar com a despesa. O casal, que não sabe ler ou escrever, alega que o Hospital JP os manipulou para vender seu bebê, possivelmente para adoção, por um preço 100.000 rúpias (7,4 mil reais).

PUBLICIDADE

“Colocamos impressões digitais em todos os documentos, conforme solicitado pelo hospital”, disse Shiv ao Times of India. “Não recebi papéis de alta, contas ou quaisquer outros papéis”, completou.

“Só precisávamos de algum dinheiro”, disse Babita, que agora está lutando para ter seu bebê de volta. Os pais disseram que desconheciam a situação para a qual estavam sendo induzidos.

De acordo com a mídia local, hospitais na região são conhecidos por coagir pais carentes a darem seus bebês em troca de dinheiro. A família vive em uma casa alugada e atualmente sobrevive com pouco mais de 1 dólar por dia (5,40 reais), após perder o trabalho devido à pandemia do coronavírus.

Agora, o casal vem contando com o apoio de ativistas dos direitos humanos. Já o gerente do hospital, Seema Gupta, afirmou que o bebê não foi “comprado”, mas que a família intencionalmente “entregou” a criança para adoção. “Essas afirmações estão erradas. Não os obrigamos a desistir do filho. Eles o fizeram por conta própria. Tenho uma cópia do acordo escrito assinado pelos pais, expressando sua vontade”.

O caso está sendo investigado pelas autoridades.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up