33.3 C
Rio Branco
26 julho, 2021 6:17 pm

Após Bruno ser internado por intoxicação, dono do restaurante tem carro apedrejado

POR IG

No último domingo (18), o jogo entre o Rio Branco-AC e o Bragantino (PA), válido pela sétima rodada da Série D do Campeonato Brasileiro, foi  adidado após vinte atletas da equipe, entre eles o goleiro Bruno , ex-jogador do Flamengo condenado por homicídio, serem internados por intoxicação alimentar.

Após o ocorrido, os funcionários do Trópicos Restaurante, local onde supostamente teria ocorrido o problema, passaram a ser ameaçados de forma anônima, além disso, o dono do esabelecimento teve o carro apedrejado.

Por conta disso, o Rio Branco-AC divulgou uma nova nota, agora pedindo respeito às pessoas que tem ligação com o restaRuante, localizado em Bragança, nordeste paraense.

Alessandro (dono) e os funcionários do restaurante têm recebido ameaças anônimas pelas redes e por ligações telefônicas, bem como um ato de apedrejamento de um automóvel do dono. Afirmamos aqui o nosso repúdio a tais atos e a não compactuação com quaisquer ações feitas contra o estabelecimento e sua equipe”, afirmou em nota.

O clube ainda reforçou que não acusou ninguém. “Esclarecemos que o Rio Branco não fez qualquer acusação ao Restaurante Trópicos e sua equipe de funcionários. Toda a delegação foi bem recebida no restaurante e não temos nenhuma intenção de prejudicar o estabelecimento e a todos os trabalhadores envolvidos. O clube simplesmente relatou o ocorrido e acionou a polícia, conforme indicação da CBF”, apontou.

Rio Branco

O Rio Branco ainda defendeu a forma que o restaurante tratou o caso. “O dono do Trópicos Restaurante, Alessandro Oliveira, prestou assistência necessária à nossa equipe depois do quadro apresentado pela delegação, se colocando à disposição do clube”, comentou.

Por fim, o clube falou em esperar as investigações e traçou um panorama da situação atual. “Não cabe ao Rio Branco Football Club qualquer tipo de acusação a ninguém. O caso agora está nas mãos da Polícia Civil de Bragança e será ela quem investigará e elucidará os fatos. Enquanto isso, a delegação segue reclusa no hotel até novas instruções. Neste momento (domingo a noite), a delegação realiza o jantar, mas 9 jogadores ainda estão com quadros agudos e permaneceram em seus quartos. Assim que novas informações surgirem, comunicaremos a todos”, concluiu.

Em comunicado, ontem, o clube apontou que os “casos mais agravantes são do goleiro Bruno, sos zagueiros Wallinson e Paulinho e do meia Guilherme Campana”.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.