13.3 C
Rio Branco
30 julho 2021 4:49 am

Operação da PF mira grupo criminoso formado por empresários, servidores e ex-servidores da Aleac

POR REDAÇÃO CONTILNET

A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira (22), a “Operação Res Principis” em Rio Branco e em Chopinzinho, no interior do Paraná, visando desarticular grupo criminoso que, de forma estruturada, fraudou contratos públicos no âmbito das antigas gestões da Assembleia Legislativa do Acre.

Aproximadamente 100 policiais federais cumprem 26 mandados de busca e apreensão, sendo 25 em Rio Branco e um em Chopinzinho/PR. No Acre, os mandados estão sendo cumpridos na Assembleia Legislativa do Estado do Acre (Aleac), nas casas de servidores e ex-servidores públicos, bem como de empresários. Além dos mandados de busca e apreensão, a Justiça determinou a suspensão dos exercícios das atividades pública de dez servidores da Aleac.

A operação é fruto de meses de investigação, que teve início quando membros do esquema criminoso, que agiam fraudando licitações de publicidade da casa legislativa no estado do Acre, buscaram aliciar servidores públicos para que impedissem a atuação dos órgãos fiscalizadores. Com o aprofundar das investigações, verificou-se que tais membros da organização criminosa também praticavam diversos outros crimes dentro da Assembleia Legislativa, como “rachadinhas”, contratação de “funcionários fantasmas, concessões indevidas de passagens aéreas, entre vários outros.

Os alvos da operação responderão pelos crimes de organização criminosa, peculato, corrupção passiva e ativa e fraude às licitações. O nome “Res Principis” se relaciona à nefasta atuação vislumbrada, voltada à malversação da coisa pública, em conceito que antagoniza a “res publica”.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.