24.3 C
Rio Branco
17 junho, 2021 9:12 pm

Para 49% dos riobranquenses, gastos nesta Black serão menores que em 2019

POR ASCOM

Para 49% da população rio-branquense, os gastos nesta Black Friday serão menores que os registrados em 2019. A avaliação foi do Sistema Fecomércio-Sesc-Senac/AC, após colaboração espontânea de 65 consumidores entre os últimos dias 9 e 16 de novembro, de forma remota. O levantamento, idealizado pelo Instituto Fecomércio de Pesquisas Empresariais do Acre (Ifepac), apontou ainda outra parcela de 37%, que demonstrou disposição para gastos mais elevados; o restante não soube ou não quis opinar.

Diante a expectativa de gastos da população na Black Friday, 20% expressou o desejo em aparelho de televisão; outra parcela maior (38%), manifestou interesse sobre itens diversos de consumo. Enquanto 54% da população empregada não revelou interesse em gastos na Black Friday contando com o 13º salário, para 38%, há essa alternativa, ou seja, de comprometimento antecipado do 13º salário com gastos de consumo.

O estudo também avaliou o controle financeiro doméstico relacionado ao desejo de gastos na Black Friday e, para 78% dos entrevistados, gastos serão limitados às condições de liquidez dos respectivos ganhos correntes. Porém, 14% não demonstraram essa preocupação, discutindo a possibilidade de extrapolação de limites de pagamentos.

Sobre o valor médio dos gastos para compras na próxima Black Friday, 36% da população afirmou planejamento para valores acima de R$ 800; outras 40% estimaram gastos entre R$ 101 e R$ R$800 e; 24%, entre R$50 a R$100.

Segundo Thiago de Paula, gerente de uma rede de lojas de departamentos localizada no shopping da capital, a Black Friday deste ano será particular. “Estamos apostando nos eletrônicos como nosso carro-chefe. Por isso, a empresa está se preparando com estoque, que garante um preço mais acessível a todos”, explicou, reiterando que a expectativa é de mais vendas em 2020. “Tivemos um aumento de 40% nas vendas em novembro, quando comparado ao mesmo período do ano passado; e, por isso, estamos nos movimentando quanto às formas de venda: utilizaremos serviços de whatsapp para podermos nos comunicar com aqueles clientes que desejam comprar por delivery ou drive thru; estabelecer a quantidade de até 150 pessoas por vez na loja e a atenção a todas as normas de biossegurança necessárias”, finalizou.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.