Rio Branco, Acre,


“As portas estão abertas”, diz presidente do Progressistas sobre possível volta de Gladson

Em entrevista ao ContilNet, Reginaldo Ferreira avalia o fortalecimento da sigla no estado

O Progressistas se consagrou como o grande vencedor das eleições majoritárias no Acre, com cinco prefeituras, entre elas Rio Branco e Cruzeiro do Sul, as duas maiores cidades do estado. Com isso, mais da metade da população acreana será governada pelo partido a partir de janeiro do ano que vem.

Por trás dessa vitória histórica para a sigla está, na visão do presidente do PP da capital, Reginaldo Ferreira, muito trabalho e diálogo. Embora administre o partido em Rio Branco, o dirigente participa das discussões em todo o Acre, ajudando a conduzir a agremiação ao lado da senadora Mailza Gomes.

Em entrevista exclusiva ao ContilNet, Ferreira avalia o resultado das eleições, elogia o prefeito eleito em Rio Branco Tião Bocalom, fala de alianças e sinaliza um possível retorno do governador Gladson Cameli às atividades partidárias após rompimento por conta de divergências relacionadas ao pleito.

Confira a seguir os principais pontos da entrevista:

Avaliação do resultado

“O Progressistas conduziu muito bem o processo. Saímos muito fortalecidos no estado todo, sobretudo nas condições adversas com quem trabalhamos. São cinco prefeituras e veja que das cinco maiores cidades e populações do Estado, três escolheu o Progressistas para fazer a gestão nos próximos quatro anos. Tomando como parâmetro 2016, tivemos crescimento de mais de 100%. Naquele ano nós elegemos dois prefeitos.”

Tião Bocalom

“Valeu a pena ter apostado em Bocalom. Estamos por demais contentes por termos agido de forma prudente e sábia. A população o escolheu diante de uma expectativa de muito trabalho. Bocalom é um homem de resultados. Não apenas trabalha, dá resultado porque sabe trabalhar. Ele atua com planejamento e metas. O povo de Rio Branco em dois anos verá uma grande diferença. Ele é um presente não só para a capital, mas para todo o povo acreano. O modo do Bocalom governar estabelecerá um padrão de fato republicano e que tem o povo como alvo. Ele se tornará uma referência para o estado em probidade, gestão, capacidade de intervir e de responder os problemas e os anseios da população.”

Vice Marfisa Galvão

“Marfisa é uma pessoa com luz e identidade próprias, à parte do marido [senador Petecão]. O PSD apresentou a vice e então foi uma participação da qual o Progressistas só tem a agradecer. Foi muito importante a participação dela em todo o processo.”

O preço dos apoios no 2º turno

“As alianças e apoios no segundo turno se deram de uma maneira um tanto inusitada. Havia já nos dirigentes dos demais partidos e ex-candidatos uma consciência de que se quisermos construir algo novo era necessário inovar também nas práticas. Nas conversas prévias para esses apoios não houve tratativas sobre composição e espaço na prefeitura. Nem com a direção do partido, nem com a coordenação da campanha e nem com o candidato. Não houve nenhum condicionante. Todos agiram com muita nobreza. Bocalom é quem vai liderar. a composição. O partido confia que ele tem as condições de desenhar o time que ele precisa.”

Senadora Mailza Gomes

“A senadora Mailza se notabilizou pela sua serenidade e capacidade de tomar decisão e de ser firme nas decisões que toma, corroborada pela expetise e capacidade de estratégia do marido e ex-prefeito de Senador Guiomard, James Gomes. E o resultado é esse em todo estado. Ela montou um excelente time e agora sai fortalecida e se consagra de fato como uma figura política habilidosa, naquela simplicidade dela.”

Senador Petecão

“Para falar do Petecão é preciso dizer que o Bocalom é o nome que de fato atraía qualquer pessoa com o olhar político, mais clínico. Considerando a necessidade de você ter na gestão de uma capital um gestor qualificado, trabalhador e dinâmico, era fácil aderir à candidatura do Bocalom. Petecão se notabiliza pelo fato de ao longo do tempo não desperdiçar as oportunidades de adquirir experiência e ampliar o seu olhar. Ele viu o que Rio Branco precisava e então se tornou um aliado de primeira hora. Não tem nesse estado nenhum cabo eleitoral tão aguerrido na rua como Petecão.”

Governador Gladson Cameli

“O governador afastou-se do partido. Ou melhor, das atividades partidárias. Mas a relação é tranquila, de paz, por conta de que a direção, quer na minha pessoa, quer na senadora Mailza, é formada por gente dada à amizade. O que aconteceu foram escolhas. Nós fizemos escolhas, o governador fez escolhas. E houve respeito mútuo sobre a escolha de cada. É uma relação política. Ele e Bocalom, já trocaram palavras. E que acredito que tanto bocalon quanto Gladson têm responsabilidade e compromisso político de traçar parcerias para trabalho a fim de que o ganhador seja o povo.”

Portas abertas

“As portas estão abertas para o governador e acredito que essa discussão acontecerá no tempo adequado. Existe já alguma coisa embrionada. Houve algumas conversas prévias dele com a nossa presidente, a senadora Mailza, e seu esposo James Gomes. Essas conversas serão retomadas. O fato é de que a mesa está posta para o diálogo. E aí essas definições elas sairão de uma mesa em que o diálogo, a coerência e o respeito terão um lugar cativo.”

Novo momento

“A vida em todos os aspectos ela é cíclica. E a política, por conseguinte. Veja que você tinha o MDB que governou o Acre por um ciclo e depois abriu-se um novo ciclo liderado pela Frente Popular e esse ciclo começou a se encerrar em 2018. Notoriamente que a capital era ainda um espaço que estava sobre os tentáculos da Frente Popular. E então quando faço essa análise de que a vida é cíclica, eu entendia que o ciclo da Frente Popular seria definitivamente fechado na eleição de 2020 com a mudança na gestão da prefeitura da capital.”

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up