Rio Branco, Acre,


Coordenadora de competições da CBF fala sobre evolução do futebol feminino

Aline Pellegrino fala sobre as mudanças na CBF, nas competições, e na maneira como a sociedade brasileira vê a modalidade

O futebol feminino vive um momento de aparente revolução no Brasil. Após a eliminação no último Mundial e a consequente demissão do técnico Vadão, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) resolveu se reestruturar. Para começo de conversa, contratou a sueca Pia Sundhage. Depois, mais duas mulheres: Duda Luizelli para comandar as seleções sub-17 e sub-20; e Aline Pellegrino, para coordenar competições.

Como coordenadora de competições, Aline Pellegrino foi responsável por um Brasileirão que tem sido encarado como um divisor de águas para as mulheres. A competição atraiu grandes patrocinadores, partidas foram disputadas em grandes arenas do Brasil, o VAR foi utilizado pela primeira vez em uma competição feminina e, com a chegada de Pellegrino, os salários de homens e mulheres foram equiparados nas Seleções masculinas e femininas.

“Não é uma questão de receber amor e carinho. É uma questão de desenvolvimento, governança, de ações profissionais sólidas”, disse Aline, em entrevista à Betway.

 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up