Rio Branco, Acre,


Cerca de 600 trabalhadores da educação municipal são do grupo de risco para Covid-19

Prefeito Tião Bocalom anunciou volta às aulas presenciais em 28 escolas no próximo dia 8

O anúncio do retorno das aulas presenciais para o 5º ano do Ensino Fundamental pela prefeitura de Rio Branco em plena pandemia de coronavírus provocou polêmica. O ContilNet apurou, junto à Secretaria Municipal de Educação (Seme), que cerca de 600 trabalhadores fazem parte do grupo de risco para a Covid-19.

De acordo com a secretária Nabiha Bestene, há previsão do Ministério da Saúde (MS) de que esse público seja incluído em uma segunda fase da vacinação, porém ainda sem data prevista.

O ministro Eduardo Pazzuelo teria conversado com representes das prefeituras informando que em breve todos os profissionais da educação serão inseridos nos alvos prioritários, especialmente os de grupo de risco.

A tentativa de fazer com que 1.800 alunos de 28 escolas retornem às aulas em meio à maior crise sanitária do século desagradou professores e funcionários da educação, que marcaram para o dia 1º de fevereiro um protesto em frente ao Palácio Rio Branco, no Centro.

“Prefeito vai vacinar trabalhadores e alunos? Sem Vacinação não vamos para sala de aula e a grande maioria dos pais se recusam enviar seus filhos para a escola. Bom senso, homem. A vida é mais importante que o ano letivo”, disse a presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), Rosana Nascimento.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up