Rio Branco, Acre,


Justiça decide que ‘privilegiados’ que furaram fila de vacina não terão direito à 2ª dose

Juíza apontou que 4 estudantes da Saúde, 2 advogados e um casal dono de empresa de alimentos receberam a vacina em Manaus

A Justiça Federal determinou que quem furou fila da vacinação contra a Covid-19 não terá direito à 2ª dose no Amazonas. A vacinação contra Covid ficou suspensa em Manaus, para um replanejamento depois de denúncias de “fura-fila”.

A decisão foi assinada pela juíza Jaiza Maria Pinto Fraxe, na noite desse sábado (23). De acordo com ela, as pessoas que tomaram a 1ª dose de forma indevida podem ser presas em flagrante caso tomem a 2ª dose antes da chegada do grupo em que se enquadram.

A juíza também determinou que a Prefeitura de Manaus informe, todos os dias até as 22h, a relação das pessoas vacinadas contra a Covid na cidade. A lista deve conter o nome, CPF e profissão das pessoas vacinadas até as 19h do dia, além do local onde a aplicação ocorreu. A multa diária em caso de descumprimento será de R$ 100 mil.

“O juízo não aceitará desculpas de qualquer privilegiado e […] desde já fica consignado que quem ‘furou a fila’ não terá o direito de receber a 2ª dose, até que chegue a sua vez, sem prejuízo de indenização à coletividade que foi lesada pelo artifício imoral e antiético”, disse a juíza em trecho da decisão.

A juíza apontou que, entre as pessoas que não deveriam ter recebido a vacina, estão quatro estudantes da área da Saúde cumprindo internato em hospitais públicos, dois advogados e um casal proprietário de uma empresa de alimentos.

A juíza também disse que a secretária Municipal de Saúde, Shádia Fraxe, e seu subsecretário, não têm direito à vacina se não estiverem efetivamente na linha de frente de combate à Covid, e ressalta que “visitar unidades de saúde não é estar na linha de frente”. Os dois terão de apresentar justificativa por terem tomado a primeira dose.

O G1 questionou a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) sobre a decisão e não obteve resposta até a publicação desta reportagem.

Confusão e falta de informação

A aplicação do imunizante foi suspensa na quinta-feira (21) para reformulação dos procedimentos, depois de denúncias de irregularidades de vacinações em profissionais de saúde fora do grupo prioritário.

A prefeitura informou no sábado (23) que a vacinação havia sido retomada. Em nota, o órgão informou que, na sexta-feira, fez a imunização em 6 unidades, o que totalizavam 277 doses aplicadas, além da vacinação no HPS 28 de Agosto para cumprimento de decisão judicial.

Denúncias de pessoas furando a fila na prioridade da vacinação são apuradas pelo Ministério Público e Tribunal de Contas. Para o prefeito de Manaus, David Almeida, as denúncias são fake news.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up