26 C
Rio Branco
17 abril, 2021 10:21 am

Professora da Uninorte publica ensaio científico em revista de Medicina Tropical mais tradicional do mundo

POR ASCOM

O corpo docente do Centro Universitário Uninorte tem se destacado no ramo da pesquisa acadêmica. Uma das professoras do curso de Fisioterapia, Franciely Gomes Gonçalves, publicou sua pesquisa de doutorado na mais tradicional revista científica do mundo sobre Medicina Tropical.

O American Journal of Tropical Medicine and Hygiene, criado em 1921, está entre os periódicos de medicina tropical mais bem classificados do mundo, publicando artigos científicos originais e as últimas novidades da ciência cobrindo novas pesquisas com ênfase em população, ciência clínica e laboratorial e a aplicação de tecnologia nos campos da medicina tropical, parasitologia, imunologia, doenças infecciosas, epidemiologia, biologia básica e molecular, virologia e medicina internacional.

A pesquisa de doutorado intitulada “Multidrug Therapy for Leprosy Can Cure Patients with Lobomycosis in Acre State, Brazil: A Proof of Therapy Study”, tem como objetivo fazer com que a doença de lobomicose seja detectada de forma compulsória e, futuramente, ser disponibilizado o tratamento via Sistema Único de Saúde (SUS) para que os pacientes possam vir a ser tratados.

Para a professora, o sentimento é de satisfação ao ver o retorno da pesquisa para a sociedade. “A lobomicose é uma doença negligenciada que acomete pessoas que tiveram contato com a floresta Amazônica. O fungo pode estar presente nas árvores, água e solo da floresta. Uma doença que até então não apresentava evidência de possibilidade de cura. O sentimento enquanto pesquisadora é o retorno benéfico do que a pesquisa traz para a sociedade”, diz.

Franciely Gomes Gonçalves é graduada em Educação Física (UFAC/1996) e Fisioterapia (CLARETIANOBT/2001), Mestre em Ciências da Saúde (FMABC/2018) e doutoranda em Ciências da Saúde pela Faculdade de Medicina do ABC. Além disso, é professora, desde 2007, do Centro Universitário Uninorte. Como também, trabalha há 18 anos no Serviço Estadual de Dermatologia do Acre, no qual, atualmente, é coordenadora.

Para ler o artigo completo acesse o link: http://www.ajtmh.org/content/journals/10.4269/ajtmh.20-0090