Rio Branco, Acre,


Ministério da Saúde formaliza interesse na compra da Sputnik V, vacina fabricada no DF

Inicialmente, devem ser importadas 10 milhões de doses para imunização no Brasil. Fornecimento será incrementado com produção local

O Ministério da Saúde formalizou, nesta sexta-feira (5/2), manifestação de interesse na Sputnik V, a vacina russa contra a Covid-19. Devem ser importadas 10 milhões de doses para início da vacinação no Brasil. A previsão é de que a quantidade aumente com a fabricação do imunizante no Distrito Federal.

Representantes da União Química – farmacêutica que detém acordo para produção do imunizante no país – e da pasta federal se reuniram nesta manhã.

O encontro estava marcado para as 10h. Ao chegar à sede do Ministério da Saúde, o dono da União Química, Fernando Marques, disse: “A expectativa é de que tenhamos vacina, pelo amor de Deus. O povo está morrendo”.

O diretor de Negócios Internacionais da empresa, Rogério Rosso, afirmou que espera avanço na conversa com o governo federal. Os executivos chegaram por volta das 9h45.

Anvisa
A farmacêutica tenta a liberação da autorização de uso emergencial junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Nesta semana, o órgão simplificou as regras para o processo.

Para solicitar o registro pela modalidade, não será mais necessário que as indústrias interessadas submetam suas fórmulas à terceira fase do estudo em território brasileiro. Isso pode facilitar a liberação da Sputnik V, que ainda não tem autorização para a fase 3 dos testes no país.

As empresas, porém, deverão se comprometer a entregar todos os dados, terminar o desenvolvimento do imunizante e apresentar o medicamento para registro completo no futuro. A agência terá até 30 dias para dar uma resposta, a partir dos pedidos das farmacêuticas.

Rogério Rosso e Fernando Marques chegam ao Ministério da Saúde

Produção
Em entrevista ao Metrópoles, o dono da União Química, Fernando Marques, afirmou “não ter dúvidas” de que a vacina será incorporada ao Plano Nacional de Imunização. “É uma questão de tempo. Minha ansiedade é que ela entre logo”, ressaltou.

A União Química iniciou no Brasil o processo de produção do IFA [insumo farmacêutico ativo], que é matéria-prima do imunizante, para fins de teste-piloto. A previsão do empresário é de que a fabricação da Sputnik V comece entre março e abril e chegue a 8 milhões de doses por mês até maio.

Um estudo publicado pela revista científica The Lancet na terça-feira (2/2) apontou que a Sputnik V demonstrou eficácia de 91,6% contra o novo coronavírus. A proteção contra quadros moderados e graves chegou a 100%.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up