Rio Branco, Acre,


Rio Iaco atinge nível máximo dos últimos anos e passa de 17m nesta quarta-feira

Nas últimas 12 horas a cheia foi de 24 centímetros, segundo a Defesa Civil

Até mesmo para chegar ao local da régua que mede o nível do rio está ficando difícil. De acordo com o subcoordenador da defesa civil, Carlos D’avila, chegou ao local de medição com água na cintura, na manhã desta quarta-feira (17), e constatou mais uma cheia do manancial nas últimas horas.

O Rio amanheceu medindo exatamente 17 metros e 10 centímetros, e já é a maior alagação dos últimos anos, ficando abaixo somente da cheia histórica de 1997, quanto cerca de 80% da cidade ficaram inundados. Naquela ocasião, o manancial mediu mais de 19 metros de profundidade.

A cheia de 2021 já deixa centenas de famílias desabrigadas em Sena Madureira. Vários ginásios e prédios públicos são usados como abrigo. Os bairros mais atingidos são: Centro, Vitória, Segundo Distrito, Cafezal, Cidade Nova, Bom Sucesso, Vila Militar e Praia do Amarilho, São Felipe e Pista.

Nas últimas 12 horas a cheia foi de 24 centímetros, segundo a Defesa Civil. Na medição realizada às 28 horas de terça-feira, o nível era de 16,86 metros e nesta manhã alcançou 17,10 metros de profundidade.

Vários acessos estão inundados, como por exemplo: Boca do Caeté, Bom Sucesso e Florentino, Siqueira Campos, ramal Santa Rosa e até a BR-364 na altura do quilômetro 08, próximo so Rio Caeté. No local, o Igarapé Cajazeira transbordou e inundou a estrada impossibilitado a passagem de veículos menores nesta amanhã de quarta-feira, e pode interditada a rodovia por completo nas próximas horas.

No Segundo Distrito e Vitória, as ruas se transformam em vias aquáticas e são usadas por embarcações para a retirada de mobílias. O mesmo acontece nas imediações do Centro da cidade e bairro Cafezal. Na zona rural, ribeirinhos da calha do Iaco, Purus, Macauã e Caeté sofrem prejuízos incalculáveis pela inundação de plantações, algumas residências também estão alagadas.

Caso continue a encher, nos próximo dias a praça 25 de setembro e o centro histórico da cidade serão atingidas pelo Rio que ameaça entrar na cidade próximo a conhecida carnaubeira, na rua Padre Egídio.

O prefeito Mazinho Serafim decretou estado de emergência e a prefeitura de Sena Madureira iniciou campanhas para arrecadar doações de alimentos e agasalhos, e iniciou o cadastramento de voluntários para ajudar na retirada de famílias. Políticos e empresários demonstram sensibilidade em ajudar os desabrigados. A prefeitura organiza novos a tigis públicos e oferece alimentação produzida em duas cozinhas específicas.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up