Rio Branco, Acre,


Vinho combate enzimas-chave do coronavírus, aponta estudo

Os taninos do vinho são capazes de inibir a atividade de duas enzimas-chave do vírus

A Universidade de Medicina da China (CMU, na sigla em inglês) apresentou resultados animadores de um estudo sobre tratamentos anti-coronavírus.

Segundo a Veja, com informações da rede de televisão TVBS, de Taiwan, os taninos do vinho são capazes de inibir a atividade de duas enzimas-chave do vírus.

Os taninos têm antioxidantes e eliminadores de radicais livres, que atuam com efeitos anti-inflamatórios.

Segundo Mien-Chie Hung, presidente da CMU, os taninos seriam capazes de prevenir a infecção e controlar o crescimento dos vírus.

A pesquisa tinha como objetivo identificar compostos de origem natural que possam ter um efeito sobre a SARS.

Hung destacou ainda que existe a possibilidade de criar uma droga com os taninos da bebida, no futuro, para o tratamento farmacêutico contra a covid-19.

Na avaliação do acadêmico, é provável que o consumo de alimentos e bebidas com taninos, como é o caso de algumas frutas, como uva e banana, vegetais, chás e o próprio vinho podem contribuir para melhorar a imunidade contra o coronavírus.

 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste portal. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários

comentários


Recomendado para você

Últimas Notícias

Scroll Up