21 C
Rio Branco
6 maio, 2021 9:42 pm

Casal flagrado em lancha fazendo sexo presta depoimento e pede desculpas

POR G1

O casal que foi flagrado em vídeo fazendo sexo em público em uma lancha, em Porto Belo, no Litoral Norte de Santa Catarina, prestou depoimento à Polícia Civil por videoconferências. Nesta sexta-feira (26), a delegada Luana Backes, responsável pelo caso, afirmou que eles pediram desculpas pelo ato.

A identificação do homem e da mulher que residem no estado de São Paulo ocorreu após investigação das imagens feitas no carnaval na região do Caixa d’Aço. Durante o período, as festas foram canceladas e eventos proibidos por conta da pandemia.

Além do casal praticando sexo em público em meio à um grupo de pessoas, outras imagens no local mostram mulheres com os seios à mostra enquanto dançavam em cima de embarcações. Ninguém usava máscara e não houve preocupação com distanciamento.

Na época uma força-tarefa foi criada para evitar atos obscenos, aglomerações e perturbação do sossego no local. Por conta do descumprimento de medidas sanitária, foram registrados três Termos Circunstanciados e outros dois por conta dos atos obscenos.

Casal pede desculpas

Segundo a delegada, o casal assumiu a responsabilidade do ato e disse em depoimento que as lanchas próximas seriam também de casais de swing.

A delegada também disse que eles pediram desculpas pelo inconveniente e o caso agora aguarda audiência.

Os dois irão responder pelo crime de contravenção penal de ato obsceno com pena prevista de três meses a um ano de prisão, ou multa.

Influenciadoras digitais

Além deles, as três mulheres, que são influenciadoras digitais, também flagradas praticando atos obscenos na região foram identificadas. Elas ainda não foram ouvidas pela polícia.

Nos vídeos, que viralizaram nas redes sociais, elas estavam com os seios à mostra enquanto dançavam em cima de embarcações.

Em fevereiro, de acordo com uma publicação feita nas redes sociais de uma das influenciadoras, uma delas estaria na lancha para comemorar o aniversário (veja vídeo abaixo). Elas podem responder por crime de contravenção penal de ato obsceno.

Fiscalização

Por conta das denúncias na região, as polícias Civil, Militar, Corpo de Bombeiros, Marinha do Brasil, Secretaria de Segurança Pública de Porto Belo, Guarda Municipal, Fundação do Meio Ambiente e Poder Judiciário aumentaram a fiscalização no local. O objetivo é impedir a perturbação do sossego no local já que a música alta é constante durante todo o dia.