19 C
Rio Branco
7 maio, 2021 7:56 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Prefeito no AC que promoveu ‘fura-fila’ e vacinou policiais virou manchete nacional

POR RORAIMA ROCHA, DO CONTILNET

RAMAIS ABERTOS

Talvez uma das maiores dificuldades enfrentadas pelos prefeitos acreanos seja a manutenção dos ramais. Com o clima amazônico, trabalhar durante o período de chuvas é tarefa pesada, mas os gestores não podem se esquivar da responsabilidade, pois as comunidades da zona rural precisam de trafegabilidade constante para escoamento de produção.

PRIORIDADE

Ramais abertos de inverno a inverno foi uma proposta de campanha do prefeito Tião Bocalom (Progressistas) e o cumprimento da promessa será fiscalizada tão logo se termine o primeiro verão. Bocalom é um homem do campo, não duvido que ele priorize esse projeto e busque sua realização, mas a tarefa não é nada fácil.

DESTAQUE NACIONAL

O prefeito de Epitaciolândia, delegado Sérgio Lopes (PSDB), virou manchete no jornal Estadão, de São Paulo, por ter ignorado as regras do Plano Nacional de Vacinação. O tucano negligenciou as pessoas idosas para beneficiar seus companheiros de Polícia Civil e Militar. O fura-fila promovido pelo gestor lhe renderá uma boa sarna para se coçar, o Ministério Público do Estado já está investigando o ocorrido.

QUER FURAR? VAI PAGAR CARO

Por unanimidade, o projeto de lei de autoria do deputado Edvaldo Magalhães (PC do B) foi aprovado, nele há previsão de punição aos chamados fura-fila da vacinação. Servidores poderão perder a função pública e agentes políticos, a perda do mandato e dos direitos políticos por período de 3 a 5 anos. Se sancionada pelo governador Gladson Cameli, caberá ao Comitê Acre Sem Covid e ao Ministério Público aplicar a lei.

BOM INÍCIO

O vereador Fábio Melo (PDT), assim como a bancada do seu partido, vem fazendo um bom início de mandato, propondo, fiscalizando a gestão pública e utilizando bem seus tempos de fala na Câmara.

MÉDICOS ASSINANDO PONTO

O vereador Arnaldo Barros (Podemos) tá querendo ter dor de cabeça. Ele disse nunca ter visto um médico assinando ponto, e cobra que a Prefeitura de Rio Branco coloque o ponto eletrônico nas Unidades Básicas de Saúde. Se por um lado a ideia realmente pode melhorar o atendimento ao cidadão, por outro ele enfrentará a ira dos médicos, uma classe que é extremamente corporativista.

CASSADO

Com a cassação do deputado estadual, Josa da Farmácia (Podemos), por compra de votos e abuso de poder econômico nas eleições de 2018, quem deve assumir é André da Droga Vale. Pelo menos para o setor de farmácias nada muda, eles seguem representados.

SEM ENERGIA

O vereador Emerson Jarude (MDB) foi para as redes sociais novamente reclamar de corte de energia em seu gabinete. Essa já seria a quarta desde o início na nova legislatura.

DESSA VEZ NÃO É SÓ HOLOFOTE

Que o Jarude não perde uma oportunidade de aparecer, já é de conhecimento público, qualquer mínimo problema ele faz questão de jogar para a plateia e tornar em algo midiático. Mas dessa vez ele está coberto de razão.

OUTRO LADO DA HISTÓRIA

O problema é que a forma como a denúncia é feita, parece que a culpa é do atual presidente da Casa, vereador N. Lima (Progressistas), porém, na sessão desta terça-feira, 30, o comandante da Câmara se defendeu, disse que as contas estão em dia, que recebeu o pedido de desculpas por parte da direção da Energisa, e que o erro era interno da empresa. N. Lima também ameaçou ajuizar uma ação contra os fornecedores caso o lamentável evento se repita.

ENTREGA DO IPTU ATRASADA

Muita gente recebeu o carnê do IPTU em cima da hora, e o vencimento da primeira parcela já seria para a data de hoje, 30. Por conta da pandemia a Prefeitura e Correios tiveram dificuldade para a entregar com mais antecedência. O secretário de Finanças do município, Antônio Cid, decidiu por prorrogar a data de vencimento para 30 de abril. Uma decisão sábia, afinal, os contribuintes não poderiam ser os penalizados.

FAZENDO HISTÓRIA NEGATIVA

Os três comandantes das Forças Armadas renunciaram ao cargo por discordar do presidente Bolsonaro. É a primeira vez na história que isso acontece. Supostamente o motivo é que os militares se recusaram a ingressar nos movimentos políticos que o presidente quer encampar, como apoiar decretos de estado de defesa para impedir lockdowns pelo país.

AUTOGOLPE

É claro que todo esse clima em Brasília causa um certo friozinho na barriga, afinal, estamos nas mãos de um desmiolado, mas se essa confusão que Bolsonaro faz no Exército é buscando promover um autogolpe, é bom ir tirando o cavalinho da chuva. Sem a mídia de massa e do empresariado, perdendo a simpatia dos generais, com o apoio popular em franco declínio e com a diplomacia em frangalhos, ou seja, sem respaldo internacional, sua chace de sucesso é zero.