27 C
Rio Branco
8 maio, 2021 4:59 pm

Quem apostou que o governador Gladson Cameli não compraria a vacina, se deu mal

POR RORAIMA ROCHA, DO CONTILNET

SEDUÇÃO DOS COMPANHEIROS

Os caciques do PT estão mesmo querendo o matrimônio com o grupo político do senador Sérgio Petecão (PSD). Um velho conhecido de Sena Madureira informou à coluna que o prefeito Mazinho Serafim vem sendo cobiçado pelos companheiros, que sonham em se reconstruir em 2022.

LAÇOS ANTIGOS

Não será nada novo, afinal, Mazinho conquistou seu mandato de deputado estadual pela sigla de Lula, conhece bem como o sistema funciona.

FALTA FISCALIZAÇÃO

Quem acompanha o debate nas câmaras de vereadores nos municípios do interior do estado percebe que está faltando fiscalização por parte dos parlamentares. O governo federal liberou mais de R$ 8 milhões para as cidades vítimas das cheias.

DINHEIRO VEIO

Sena Madureira, por exemplo, recebeu mais de R$ 2,3 milhões do Ministério do Desenvolvimento Regional (Portaria nº 329) e pouco foi feito, afinal, a limpeza da cidade está sendo feita pelo Governo do Estado por meio do Deracre.

DOAÇÕES

A maioria das cestas básicas, kits de limpeza, produtos de higiene pessoal, água potável, colchões e redes, e outros produtos de extrema necessidade, foram doados pelo Governo ou doados por empresas e iniciativas como a do Ministério Público com o movimento #SOSAcre.

CADÊ AS AÇÕES?

Onde esse dinheiro todo está sendo aplicado? Ou a Prefeitura está com ele parado, ou não estão divulgando o trabalho direito. Em qualquer das hipóteses, a gestão está errando.

FAKE NEWS

O compartilhamento de fake news segue em ritmo acelerado e novamente o alvo é a vacinação. Dessa vez, estavam divulgando que a Prefeitura de Rio Branco estaria vacinando idosos a partir de 65 anos já na próxima quarta-feira, 24. Enquanto a polícia não começar a investigar e prender estes delinquentes a desinformação e, consequentemente, o caos seguirão em alta.

CAPACITAÇÃO

A secretária Eliane Sinhasique utilizou suas redes sociais para informar que, por meio de uma parceria com a Microsoft, o governo passará a oferecer mais de 60 cursos online gratuitos. É uma boa oportunidade para jovens que procuram o primeiro emprego se capacitarem para o mercado de trabalho. Bola dentro!

VAI TER VACINA, SIM

Quem apostou que o governador Gladson Cameli estava blefando sobre a compra de vacinas direta pelo Estado, se deu mal. O contrato foi assinado na tarde desta segunda-feira, 22, e prevê a chegada de 700 mil doses no Acre. A previsão é todas as vacinas sejam entregues em apenas um lote, até o dia 20 de abril. Como diz o pastor Agostinho, da Igreja Batista do Bosque, “é para glorificar de pé, igreja”.

TIRO CERTEIRO

Não tenho dúvida de que a pressa em comprar essas vacinas é pensando na população, e não apenas marketing político. Todos os governadores estão desesperados, principalmente por conta do governo federal, que atrasou demais o Plano Nacional de Imunização, e pouco ajudou os estados.

BENQUISTO

Se tem uma pessoa que goza de confiança nesse governo é o secretário de Saúde, Alysson Bestene. Na coletiva feita hoje, Gladson fez questão de agradecer a equipe da pasta, em especial a Alysson, e deixar claro que fará a defesa da gestão e de seu time sempre que for necessário.

FALTA ESTRATÉGIA

A vereadora Michelle Melo (PDT) tem sido uma parlamentar atuante, principalmente quando o assunto é fiscalização das ações de Saúde da prefeitura. Sobre as vacinas Sputinik V, que o governador assinou o contrato de compra, Michelle pediu que a aplicação fosse feita pelo Governo, em Rio Branco. A pedetista lembrou as dificuldades que a população enfrenta para se vacinar por falta de estratégia da gestão municipal. Filas enormes, falta de transparência, comunicação deficiente, foram outras críticas feitas pela vereadora.

SEM LÍDER

Toda sessão da Câmara de Rio Branco é a mesma reclamação, a falta de um líder indicado por Bocalom (Progressistas). Sem ninguém ocupando esse papel, os vereadores falam ao vento, afinal, não existe interlocutor da Prefeitura. O resultado disso é que a gestão apanha de todo mundo, da situação e da oposição, às vezes até sem necessidade. Isso só vai acabar quando Bocalom precisar aprovar alguma matéria urgente e o parlamento não aprovar por birra.