30 C
Rio Branco
6 maio, 2021 2:08 pm

Acreanos estão indo para Bolívia se vacinar contra Covid-19

Porvenir, no departamento de Pando, foi um dos destinos procurados por acreanos - que foram atendidos

POR TON LINDOSO, DO CONTILNET

Brasileiros que moram no Acre estão recorrendo à Bolívia para minimizar o prazo de espera para a imunização contra a Covid-19. Informações vindas da região de fronteira dão conta de que Porvenir, seção municipal da província de Nicolás Suárez, no departamento de Pando, tem recebido um considerável número de acreanos.

Uma dessas acreanas mora em Epitaciolândia. Ela preferiu não se identificar, pois afirmou que a vacina era exclusiva para bolivianos, que abriram exceção para alguns brasileiros por conta da baixa aceitação no território vizinho – mas aceitou dar informações detalhadas sobre a vacinação. A acreana conta que as vacinas serão aplicadas durante todo o dia de quinta-feira (22) e manhã de sexta-feira (23). Ela divulgou a informação nas redes sociais para amigos e familiares. “Aproveitem, e se cuidem”, postou.

“Vacinada contra esse vírus maldito, fui lá em Porvenir/Bolívia; longe, mas consegui. 100% gratuitamente. Tudo na maior tranquilidade por aqui [em Epitaciolândia, onde ela mora]”, conta ao jornalismo do ContilNet.

Porvenir fica a cerca de 40 minutos de Epitaciolândia. Está localizada a 33 quilômetros ao sul de Cobija, a capital do departamento. De acordo com outra acreana, também da região de fronteira, para se vacinar, basta ser maior de 18 anos e levar um documento de identificação com foto. Ela relatou à reportagem que não há burocracias e nem filas.

Em alguns comentários, pessoas falaram de boatos que dizem respeito a reações. “As [pessoas] que conheço, daqui, tomaram e não tiveram nenhuma [reação]”, disse a acreana vacinada. “Depende de pessoa para pessoa. Eu, por exemplo, tive”, rebateu um usuário do Facebook.

Outra que recebeu a vacina contra a nossa reportagem que foi fácil. “Estão vacinando qualquer pessoa”, afirma. Trata-se apenas da primeira dose. Não se sabe, ao certo, a origem da vacina que está sendo aplicada na localidade. Enquanto alguns imunizados afirmam ser a vacina de Oxford, outros falam na vacina AstraZeneca. De acordo com o periódico Prensa Latina, o país adquiriu, no início do ano, “milhões de doses da vacina russa Sputnik V e outras pelo mecanismo Covax”.

No início da semana, o jornal Diarionline noticiou que, além dos moradores de cidades fronteiriças, o Governo da Bolívia também já iniciou a vacinação contra a covid-19 nas prisões da fronteira do País com o Brasil. “679 internos já receberam a primeira dose e aguardam a segunda em 20 dias, desse total, 67 presos são de Puerto Suárez, cidade que fica na divisa com Corumbá”, diz o noticiário.