17 C
Rio Branco
7 maio, 2021 5:12 am

Após 18 horas desaparecidos, adolescentes encontram saída de trilha de reserva florestal

Jovens passaram a noite na mata depois que se perderam em trilha ao procurar igarapé, onde pretendiam tomar banho

POR G1

Os seis adolescentes que estavam desaparecidos após se perderem na mata dentro da Reserva Florestal Adolpho Ducke, em Manaus, acharam a saída da trilha e voltaram para casa. Eles passaram 18 horas desaparecidos. Apenas um adolescente teve ferimentos leves na perna.

Na tarde de sábado (24), os adolescentes jogaram bola em uma quadra no bairro Cidade de Deus e, após a partida de futebol, eles decidiram tomar banho em um igarapé dentro da reserva. Entraram na mata por uma trilha não oficial.

Por volta das 10h deste domingo (25), a Polícia Militar se preparava para entrar na área de mata para realizar buscas junto aos grupos especializados. Nesse momento, saiu da trilha o adolescente Ravel Azevedo Abreu, de 15 anos. Ele disse que achou a saída, depois que o grupo entrou na mata para tomar banho em um igarapé. Ele surgiu ao lado da Avenida Margarita, mesmo local por onde entrou com os colegas.

O adolescente Lucas Gabriel, de 16 anos, chegou logo depois e disse que costumavam entrar no local para tomar banho nos igarapés, mas dessa vez decidiram ir a um mais distante. Durante a madrugada, choveu em Manaus.

“A gente fez um barraquinho na hora da chuva e ficou lá. Aguentamos. Ficamos preocupados com a família, falávamos isso toda hora. Nunca mais vou entrar aí. Íamos tomar banho no segundo igarapé, mas decidimos ir para o terceiro, mas não deu mais para voltar, estava muito longe. Ficamos até a noite tentando sair, mas estava muito escuro. Caminhamos muito”, lembra.

A Polícia Militar orientou que os adolescentes não entrem mais no local dessa forma irregular, pois se trata de uma reserva Florestal. Os adolescentes foram orientados pela polícia e, em seguida, foram para casa com as famílias.

Família

A mãe de Lucas Gabriel, Rosiane da Silva, contou que o filho passou em casa para tomar água após jogar bola e disse que iria tomar banho no igarapé.

Fabiana dos Santos, mãe de Denilson Souza Pereira, de 14 anos, não escondia a preocupação com o filho. Pouco antes dos meninos aparecerem, ela temia que o menino estivesse com fome e frio.