30 C
Rio Branco
6 maio, 2021 2:05 pm

Após denúncias de Rocha, secretário nega irregularidades em obra de extensão do Into

Secretário da Seinfra diz que não há irregularidades na adaptação do antigo prédio do Bope para aumentar hospital de campanha

POR TIÃO MAIA, PARA CONTILNET

O engenheiro Ítalo César Soares de Figueiredo, titular da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) desmentiu, na manhã desta segunda-feira (19), em Rio Branco, informações de irregularidades nas obras de adaptação do antigo prédio do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar, ao lado do Instituto de Traumatologia e Ortopedia do Acre (Into/AC), no bairro Ipê. As informações foram veiculadas em sites de notícias e têm como fonte o vice-governador do Estado, Wherles Rocha, que passou a fazer a oposição ao governo de Gladson Cameli e vem promovendo uma verdadeira campanha na tentativa de desmoralizar o governador e sua administração.

Ítalo Figueiredo disse que a Seinfra adotou todas ações necessárias, em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), para ampliar a estrutura de atendimento hospitalar de pacientes infectados pelo Covid-19. “Por decisão do governo do Estado, todas as obras da Saúde foram priorizadas”, disse o secretário. “Na obra do antigo Bope, de forma a dar celeridade aos trabalhos, a execução dos serviços foi dividida em duas etapas, manutenção e reforma. Na primeira etapa sob a responsabilidade da empresa Construlagos, foram realizadas manutenções na cobertura, nos pilares da caixa d’agua, retirada de forro e outras ações iniciais. A segunda etapa da obra, sob a responsabilidade da empresa SM Gadelha, tem como prioridade a implantação da rede de gases medicinais, implantação do sistema de exaustão, aquisição de gerador próprio e outras ações de reforma”, acrescentou.

O secretário disse ainda que a Construlagos tem contrato ativo com a Seinfra, feito por meio de processo licitatório ocorrido em 2020, “com ampla participação de empresas, tanto locais, como de fora do Estado, cuja empresa vencedora apresentou o melhor percentual de desconto (40%)”. Segundo ele, a empresa SM Gadelha tem contrato ativo com a Seinfra, feito de forma emergencial, dentro da norma legal, sendo convidadas a participar do certame dez empresas locais. A SM Gadelha apresentou a proposta mais vantajosa para o Estado, com desconto de 20% em relação ao preço de referência. A contratação foi aprovada pela Procuradoria Geral do Estado – PGE/AC”, afirmou o secretário.

Ainda de acordo com Ítalo Figueiredo, a escassez de alguns materiais de construção, por conta do fechamento das indústrias na pandemia, tem sido uma barreira para a conclusão da obra dentro do cronograma previsto. “Alguns equipamentos são adquiridos fora do Estado, como por exemplo, equipamento para exaustão, e impõe um maior tempo para a finalização da obra”, disse. “Para a celebração dos citados contratos foram obedecidos os princípios da legalidade, moralidade, impessoalidade e publicidade, estando disponíveis para consulta, a quem possa interessar. Portanto, a fiscalização será sempre bem vinda”, afirmou.