23 C
Rio Branco
6 maio, 2021 7:29 pm
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Pimenta no Reino: candidatura de Jorge Viana ao governo não pode ser subestimada

Sua derrota em 2018 foi um ponto fora da curva.

POR RORAIMA ROCHA, DO CONTILNET

O HOMEM DA FLORESTANIA

Como divulgado anteriormente por este humilde palpiteiro, Jorge Viana (PT) deve mesmo ser candidato ao Governo do Estado e não ao Senado, quem confirmou a informação foi o presidente de seu partido, Cesário Braga.

SE ANIMARAM

A permissão dada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), ao anular as condenações de Lula, para que ele possa ser candidato à Presidência pelo visto animou mesmo os companheiros. Mas a missão não será fácil. Candidato nenhum a governo consegue caminhar sem perna. Precisam formar uma boa chapa para deputado estadual e federal, tarefa difícil para quem não está no poder. Do ponto de vista da competitividade, Gladson e Petecão seguem na dianteira.

NÃO É CAFÉ COM LEITE

Ainda assim, não se pode subestimar a candidatura de Jorge Viana. Sua derrota em 2018 foi um ponto fora da curva. A maré não estava para peixe do lado do PT, mas Jorge tem memória do seu tempo de mandato, uma militância que sabe fazer campanha e conhece os atalhos da política acreana como ninguém.

BATENDO EM RETIRADA

Falando em dificuldade, parece que o PT está à beira de perder um de seus poucos prefeitos e deputados. A família Lima – não são os irmãos com banda de música clássica – deve estar abandonando o exército petista para se somar ao Progressista. Isaac, prefeito de Mâncio Lima, e Jonas, deputado estadual, pelo visto vão mesmo apoiar Gladson à reeleição, retribuindo o apoio dado pelo governador nas eleições de 2020.

NATURAL

Aliás, há muito tempo Jonas não tem das melhores relações com o partido. A família Lima é independente, nunca seguiu orientações partidárias dadas de cima para baixo, e isso sempre incomodou a direção do PT. Não vejo a suposta saída como algo surpreendente. Natural.

FILA DA VACINA

A URAP Roney Meirelles foi palco de uma confusão generalizada durante a manhã desta quarta-feira, 28. Reflexo total da dificuldade que a gestão municipal enfrenta para comunicar a população e organizar uma simples fila de vacinação.

PROBLEMAS CONSTANTES

Usuários reclamavam do tempo de espera para receber o imunizante. Aliás, a maioria dos que estavam na Unidade eram idosos, que “bateram boca” com funcionários, que também são vítimas de desorganização da Secretaria Municipal de Saúde. Vale lembrar que esse não é um problema pontual, outros locais de vacinação já passaram por situações semelhantes, como bem noticiou a imprensa diversas vezes.

DE CANTO

A cerimônia para promoção de oficiais e entrega de três ambulâncias no Corpo de Bombeiros teve climão. Essa foi a primeira vez em que Gladson Cameli e Wherles, se encontraram publicamente após a série de denúncias feitas pelo vice nas redes sociais. Isolado e no canto do dispositivo de honra, o vice-governador não aparentava nenhum constrangimento. Ao contrário da maioria dos que estavam presentes.

REAPROXIMAÇÃO

O retorno de Gladson Cameli ao Progressistas o reaproximou de verdade de sua base, além de voltar a ter apoio dos caciques do partido. O deputado José Bestene, por exemplo, que por vezes bateu de frente com o governo na Assembleia, voltou ao discurso apaziguador, alinhado com Gladson. Ao que parece a campanha de 2020 ficou para trás… resta saber até quando a paz reinará.

VAI TER QUE EXPLICAR

Após denúncia da vereadora Michelle Melo (PDT) ao Ministério Público Federal e Estadual, o procurador da República Lucas Costa Almeida Dias e o promotor de Justiça Gláucio Ney Shimora Oshiro, deram um prazo de cinco dias para que o prefeito explique sobre declarações dadas por ele em defesa do “tratamento precoce” com medicamentos do chamado “kit-covid”.

SÓ O INÍCIO DO PROBLEMA

O MPF e o MPE pedem ainda que Bocalom mostre quais remédios integram o kit, qual critério de distribuição na rede pública, que pacientes recebem… E o estudo científico que embasou a decisão da administração pública. Isso vai dar uma dor de cabeça das grandes para Prefeitura. Mas era de se esperar. Quem defendeu essa tese absurda (mesma do presidente Jair Bolsonaro), agora que vai começar a sofrer as consequências. E que venha a CPI da Pandemia.