22 C
Rio Branco
16 maio, 2021 1:01 am

Khamzat Chimaev desdenha de Nick Diaz e diz que não há gângsteres no MMA

Recuperado da covid-19, checheno garante que já viveu coisas muito mais duras do que as provocações e ameaças do MMA: "Eu cresci na guerra. Isso aqui não é nada para mim"

POR COMBATE, GE

Após passar por maus momentos em decorrência da covid-19, o peso-meio-médio checheno Khamzat Chimaev está pronto para voltar a lutar no UFC.

O lutador já tem até mesmo um possível adversário: o veterano Nick Diaz, que tem tido o seu nome mencionado por Dana White para um possível retorno ao octógono.

Em entrevista ao site “MMA Junkie”, Chimaev falou sobre o provável confronto.

 Eu quero lutar com ele, seria ótimo. Eu o via lutar quando era criança, e agora vou lutar com ele. Pra mim é perfeito. Quero ver quem é o verdadeiro gângster. Acho que ele é um gângster no esporte. Vamos ver. Nick é uma lenda.

Todo mundo o conhece no mundo do MMA. Ele é muito bom, e esses caras bons gostam de posar de gângsteres. Será ótimo se ele quiser me enfrentar

Mas não sei, talvez ele esteja com medo. Espero conseguir lutar em agosto, disse isso a Dana White ontem, e ele me disse que está pronto para me oferecer alguém. Só pedi que ele não me esquecesse, porque quero arrancar a cabeça de alguém.

Perguntado o que achava da fama de gângster de Nick Diaz, Chimaev desdenhou e disse que, para ele, que cresceu em meio a guerras na Chechênia, não existem gângsteres no MMA.

Nick Diaz tem tido o nome cotado para retornar ao octógono do UFC — Foto: Getty Images

– Isso aqui é o MMA, é um esporte. Quem é gângster aqui? Gângsteres são outra coisa, são assassinos. Eles matam pessoas. Talvez, nesse esporte, Diaz seja um gângster. Mas eu cresci na guerra. Isso aqui não é nada para mim. Eu já vi muita coisa na vida. Ninguém aqui é um gângster.

O checheno aproveitou para provocar não apenas Nick, mas seu irmão mais novo, Nate Diaz, e brincou dizendo que estaria disposto a lutar contra os dois na mesma noite.

– Eu fiquei parado por quantos meses? Ele está parado há muitos anos. Voltar vai ser ótimo, e o UFC deve conseguir fazer muito dinheiro com a minha volta. Eu gosto desses caras. Vamos brincar de ser gângsteres. Eu estou voltando para arrebentar alguém. Agora surgiu o nome Diaz. Que tal os dois irmãos no mesmo dia? Vamos ver quem é o gângster de verdade. O gângster da Chechênia é melhor que o gângster de Stockton.

Falando sobre o período em que teve covid-19, Chimaev disse não ter tido medo de morrer por si, mas sim pela sua família, a quem ajuda com o dinheiro das lutas.

– Nunca temi pela minha vida. Eu tive medo pelo que aconteceria com a minha mãe e a minha família. Por isso eu disse que talvez eu estivesse me aposentando do MMA. Minha saúde é mais importante para mim, porque preciso ajudar a minha família. Agora estou saudável. Amo esse esporte e amo surrar meus adversários para ganhar dinheiro. É um trabalho fácil. Já lutei muito de graça, e agora sou pago pra isso. É muito bom!

O lutador também teceu elogios a Kamaru Usman, campeão dos pesos-meio-médios do UFC, e previu que enfrentará o nigeriano no ano que vem, pelo cinturão.

– Usman me pareceu estar muito bem. Agora posso dizer que, na minha divisão, ele é o melhor do mundo. Ano que vem ele pode esperar por mim. Entendo que tenha que enfrentar alguém antes, e sempre digo que não me importo quem será o meu adversário. Eu encaro qualquer um.