21 C
Rio Branco
14 maio, 2021 11:11 pm

Pastor nega importunação sexual em menina de 14 anos: “Foi só selinho”

Religioso compareceu à polícia e negou acusações; ele deve ser indiciado por oferecer dinheiro à vítima; crime pode dar até 10 anos e cadeia

POR METRÓPOLES

Em depoimento à Polícia Civil de Goiás na tarde dessa sexta-feira (23/4), o pastor investigado por importunação sexual contra uma adolescente de 14 anos em Goiânia negou a acusação feita pela própria vítima e pelo Conselho Tutelar. Filmado secretamente beijando a menina, ele disse que se tratou de “apenas um selinho”.

Identificado como Otacílio Emanuel, o religioso também negou que tenha oferecido dinheiro à menina, ainda que no vídeo gravado e entregue à polícia, ele apareça perguntando se ela quer “mais 10 Reais”.

Apesar de todas as negativas, o pastor deve ser indiciado pelo menos por favorecimento à prostituição ou outra forma de exploração sexual de pessoa menor de 18 anos por ter oferecido dinheiro à vítima.

Conforme a delegada Gabriela Adas, adjunta da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), disse ao Metrópoles, o crime pode render 10 anos de reclusão ao autor.

O caso vem sendo investigado pela DPCA desde a última terça-feira (20/4). O pastor compareceu espontaneamente, viu os vídeos e ouviu os áudios e se reconheceu nos dois casos. Mas, ainda assim, não considerou que teve condutas indevidas. Afirmou que deu “apenas um selinho” na menina e que teria sido retribuído de maneira espontânea.

Nos áudios divulgados com exclusividade pelo Metrópoles e atribuídos ao pastor pela própria vítima e pelo Conselho Tutelar, são ditas frases como:

“Eu amei, amei e amei. Amei muito. Quero todos os dias, sempre que puder, tá bom? Eu te amo muito e amei muito, gostei muito e quero sempre. Você é minha. A gente vai ficar junto agora, tá bom? Mas tudo no tempo certo. Você ouve a mensagem aí e apaga, tá bom? Te amo.”

Leia a matéria completa em METRÓPOLES, clique AQUI!