17 C
Rio Branco
7 maio, 2021 4:13 am

Presos do Quinari conquistam 3 primeiros lugares em concurso de redação da DPU

etentos receberam a premiação na própria unidade. O terceiro lugar já alcançou a liberdade

POR SECOM

“O sentimento é único e de alegria. Estou alegre comigo mesmo, satisfeito pelo desempenho que estou tendo”. Esse é o relato emocionado do detento José Uliam Araújo, que aos 42 anos alcançou o 1º lugar em âmbito estadual do concurso de redação da Defensoria Pública da União (DPU), na categoria destinada a privados de liberdade. Pelo terceiro ano consecutivo, a Unidade Penitenciária do Quinari (UPQ) alcançou os três primeiros lugares na categoria, tornando-se uma referência no Estado do Acre e no Brasil. Um dos detentos já alcançou a liberdade.

José Uliam cumpre sentença em regime fechado na UPQ, localizada em Senador Guiomard, onde, ao longo da pena, já completou o ensino fundamental e está prestes a concluir o ensino médio. Ele explicou que, ao chegar no presídio, não possuía habilidades de leitura e escrita, pois não teve oportunidades de estudo.

“Eu estava procurando muito estudar. Aí eu tive essa oportunidade de ingressar no estudo aqui dentro, fui começando do terceiro ano do ensino fundamental e hoje eu estou no ensino médio, faltam só algumas matérias para terminar, graças a Deus”, disse.

O diretor da UPQ, Eliton Cavalcante, parabenizou os detentos e destacou a importância do momento: “É um marco histórico, que demonstra a forma com a qual nós estamos trabalhando, desenvolvendo o serviço com o corpo técnico, administrativo, operacional e mostra que temos trabalhado a ressocialização dos presos para que eles possam sair, ter uma nova vida e um futuro bem melhor”.

A chefe do Departamento de Reintegração Social do Iapen, Liliane Moura, destacou a importância da premiação na vida dos reeducandos. “Esse é um concurso em nível estadual e muito difícil. Ser uma referência é muito importante. Que isso reflita positivamente na vida de vocês”, observou.

Chefe da Divisão de Educação Prisional do Iapen, Margarete Frota, explicou o papel da educação na vida dos alunos e no processo de reintegração social dos detentos. “Uma premiação como essa tem o cunho afirmativo do que vocês querem para a vida de vocês, porque é um resultado de algo que vocês construíram. A educação nos dá oportunidades de dar um rumo nas nossas vidas, para onde nós quisermos ir”, concluiu.