30 C
Rio Branco
21 abril, 2021 5:05 pm

Telescópio Hubble revisita a Nebulosa do Véu

POR NASA

Esta imagem obtida pelo Telescópio Espacial Hubble da NASA / ESA revisita a Nebulosa do Véu, que foi apresentada em um lançamento de imagem anterior do Hubble. Nesta imagem, novas técnicas de processamento foram aplicadas, trazendo detalhes finos dos delicados fios e filamentos de gás ionizado da nebulosa. Para criar esta imagem colorida, as observações foram feitas pelo instrumento Wide Field Camera 3 do Hubble usando cinco filtros diferentes.

Os novos métodos de pós-processamento aprimoraram ainda mais os detalhes das emissões de oxigênio duplamente ionizado (visto aqui em azuis), hidrogênio ionizado e nitrogênio ionizado (visto aqui em vermelhos). A Nebulosa do Véu fica a cerca de 2.100 anos-luz da Terra, na constelação de Cygnus (o Cisne), o que a torna uma vizinha relativamente próxima em termos astronômicos. Apenas uma pequena parte da nebulosa foi capturada nesta imagem.

A Nebulosa do Véu é a porção visível do próximo Cygnus Loop, um remanescente de supernova formado há cerca de 10.000 anos pela morte de uma estrela massiva. Essa estrela – que tinha 20 vezes a massa do Sol – viveu rápido e morreu jovem, terminando sua vida em uma liberação cataclísmica de energia. Apesar dessa violência estelar, as ondas de choque e os destroços da supernova esculpiram o delicado rendilhado de gás ionizado da Nebulosa do Véu – criando um cenário de surpreendente beleza astronômica.

A nebulosa do véu também é destaque no Catálogo Caldwell do Hubble, uma coleção de objetos astronômicos que foram fotografados pelo Hubble e são visíveis para astrônomos amadores no céu noturno.

Crédito do texto: Agência Espacial Europeia (ESA) Crédito da imagem: ESA / Hubble & NASA, Z. Levay