18.3 C
Rio Branco
15 junho, 2021 8:41 am

Bittar diz que CPI persegue Bolsonaro: “Não há limites para os interesses da esquerda”

POR TIÃO MAIA, PARA CONTILNET

A última postagem do senador Márcio Bittar (MDB-AC) em suas redes sociais, que continua no ar nesta sexta-feira (28), é uma crítica ácida à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid no Senado Federal, para investigar possíveis omissões do governo federal no enfrentamento à pandemia do coronavírus.

O último depoente na CPI, o médico Dimas Covas, diretor do Instituto Butantã, de São Paulo, que falou aos parlamentares na quinta-feira (27), sustentou que o número de mortes pela doença no país poderia ter sido bem menor se o presidente Jair Bolsonaro e seus ministros da Saúde não tivessem causado problemas para a aquisição de vacina logo após a disponibilidade do produto no mercado. Além disso, o comportamento beligerante de Boosonaro com países como a China, que foi um dos primeiros a produzir vacinas, causou problemas que impediram o acesso do Brasil às primeiras doses dos imunizantes. “Isso poderia ter evitado milhares de mortes porque o Brasil poderia ter sido um dos primeiros a vacinar sua população”, disse o depoente.

Márcio Bittar afirmou que a CPI da Covid-19 desperdiça tempo e dinheiro. Segundo ele, o intuito da CPI é perseguir o presidente Jair Bolsonaro e cobrou respostas sobre denúncias de desvio de dinheiro do combate a covid-19 enviado pela União a estados e municípios.

“O governo Bolsonaro vem sendo atacado desde o início pelos que não aceitam um presidente que seja contra a corrupção. A CPI é a prova de que não há limites para os interesses da esquerda, que em meio a uma grave pandemia, para o país, gasta tempo e dinheiro público para perseguir e propagar mentiras enquanto seguimos sem respostas sobre os mais de 130 bilhões enviados aos estados e municípios para o combate à Covid!”, afirmou o senador.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.