30.3 C
Rio Branco
17 junho, 2021 6:35 pm

Covid-19: diretor do Butantan prevê vacinação lenta até setembro

Em falas recentes, o governador de São Paulo, João Doria, atribui essa demora na liberação do produto às constantes falas do presidente Jair Bolsonaro

POR BBC NEWS BRASIL

Como diretor do Instituto Butantan desde 2017, Dimas Covas sempre precisou aliar o conhecimento técnico e científico com as particularidades do mundo político que, na visão dele, não parecem seguir uma lógica.

E essa necessidade se ampliou numa escala inimaginável durante a pandemia de covid-19: a corrida por vacinas capazes de frear o coronavírus exigiu muito jogo de cintura e garantiu fortes emoções entre o final de 2020 e o início de 2021.

Uma das personagens que mais ganharam os holofotes nesta história foi a CoronaVac, imunizante desenvolvido pela farmacêutica chinesa Sinovac e testada no Brasil pelo Instituto Butantan, com a coordenação de Covas e sua equipe.

Após passar por todas as etapas de pesquisa clínica, a vacina foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em janeiro de 2021 e hoje responde por mais de 70% de todas as doses que foram aplicadas até o momento na campanha brasileira contra a covid-19.

Leia mais em BBC News Brasil, clicando AQUI.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.