20.3 C
Rio Branco
19 junho, 2021 2:45 am

Governo muda posição e passa a contraindicar cloroquina para Covid

Até o começo de maio, a pasta tinha protocolo que indicava a administração dessas e outras drogas para tratar coronavírus, mesmo com pareceres contrários de órgãos internacionais da saúde

POR G1

Após retirar da página oficial do Ministério da Saúde orientações sobre uso da cloroquina, azitromicina e ivermectina no tratamento da Covid cerca de uma semana atrás, a pasta elaborou um novo documento contraindicando o uso desses medicamentos em pacientes hospitalizados com a infecção.

Noticiado pela Folha de S. Paulo e obtido pela TV Globo, o documento também aborda outros medicamentos até então defendidos pelo governo e pelo presidente Jair Bolsonaro, como a hidroxicloroquina e o remdesivir.

Chamado de “Diretrizes Brasileiras para Tratamento Hospitalar do Paciente com Covid-19”, o documento será colocado para consulta pública pela Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec).

Mudança de posição

Esta é a primeira vez, em mais de um ano de pandemia, que o Ministério da Saúde elabora documento desaconselhando tais drogas para tratar a Covid-19.

Em maio do ano passado, o então ministro da Saúde Eduardo Pazuello mudou o protocolo do Ministério para permitir a prescrição de cloroquina para pacientes com sintomas leves da Covid-19, como queria Jair Bolsonaro.

Em setembro, aliás, durante a posse de Pazuello como ministro da pasta, o presidente da República se referiu a si mesmo como “doutor Bolsonaro” e fez propaganda da hidroxicloroquina exibindo uma caixa do medicamento à plateia.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) vem alertando desde o segundo semestre do ano passado que a cloroquina, hidroxicloroquina e azitromicina não tem eficácia comprovada contra a Covid-19 e podem provocar efeitos colaterais.

CPI da Covid

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid tem investigado, entre outras ações do governo federal, a indicação de medicamentos sem eficácia para tratar pacientes de covid-19.

 

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.