24.3 C
Rio Branco
17 junho, 2021 8:15 pm

Governo repassa sistema de água e esgoto de Rio Branco para prefeitura

POR SECOM

Uma solenidade realizada na manhã desta sexta-feira, 28, no Palácio Rio Branco, deu início ao processo de repasse dos serviços de água e esgoto da capital de volta à prefeitura. O governador Gladson Cameli ofereceu e o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, aceitou a retomada de operacionalização do sistema, num processo que será realizado por etapas e que deve ser encerrado apenas em outubro, saindo da gerência do Departamento Estadual de Água e Saneamento do Acre (Depasa) para o Serviço de Água e Esgoto de Rio Branco (Saerb).

Gladson Cameli destacou que o abastecimento de água sempre foi uma questão importante em seu governo, principalmente por ter recebido em sua gestão um sistema muito problemático, com diversas falhas para a distribuição até a população, principalmente em Rio Branco, onde a Estação de Tratamento de Água da Sobral (ETA 2) segue em situação crítica, com risco de desabamento.

Ainda assim, durante todo esse período, o governo do Estado não tem medido esforços com obras de intervenção na rede e aquisição de novos materiais em todo estado, inclusive novas bombas de captação para a capital, que chegarão ainda este ano e não eram trocadas há mais de uma década.

“Não estou abrindo mão de uma responsabilidade, pelo contrário, esse é um processo por etapas, onde o governo segue ajudando e investindo para que a população não seja prejudicada. A prefeitura manifestou o interesse de ter essa gerência e manteremos o apoio em tudo que for necessário. Seguiremos trabalhando unidos, contra o tempo, em sintonia por esse sistema”, conta o governador.

O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, conta que esse é um dia que vai ficar marcado na história da capital. Ele reforça que está com certeza absoluta das responsabilidades e desafios que aceita e agradeceu ao governador por cumprir com a palavra na reversão da operacionalização do sistema de água e esgoto da capital.

“Eu não tenho dúvida nenhuma de que essa parceria entre governo e prefeitura seguirá forte. Não só na questão da água, mas também em toda a parte de infraestrutura que vai ser realizada dentro de Rio Branco, com o governo tendo inúmeros investimentos prontos aqui para a capital, e vamos estar juntos. O governador está comprometido e nós também”, destaca o prefeito.

Processo por etapas

Desde 2012, o Estado se tornou responsável pelo abastecimento de água e rede de esgoto da capital com a criação do Depasa. O sistema que já era deficitário só se agravou com o tempo.

Trabalho de transição da operacionalização do sistema só deve ser encerrado em outubro Foto: Diego Gurgel/Secom

Nesse contexto e junto a um estudo de viabilidade do sistema realizado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em 2017, a atual gestão municipal de Rio Branco manifestou-se pela reversão do sistema a prefeitura, considerando sua discordância com o projeto de privatização apresentado pelo Banco, acreditando que é possível fortalecer o sistema de forma pública.

O processo será gradual e dividido em três etapas que envolvem a organização de documentos, discussão de projetos e início da operacionalização pela prefeitura, sendo que a reversão total está prevista para outubro deste ano.

A presidente do Depasa, Waleska Dessotti, destaca que as duas ETAs, a Estação de Tratamento de Esgoto e todos os elementos que compõem a rede serão repassados. Ela destaca que há seis meses à frente do Depasa, encontrou a rede de distribuição de água com 70% de falhas, comemorando hoje a efetividade de 90% de todo o sistema.

“São problemas de muitos anos, alguns que chegam há 15. Temos Depasa, Seinfra e Deracre na busca por reverter a ameaça de desabamento da ETA 2, com o governador Gladson Cameli nos dando toda a infraestrutura, inclusive autorizando a compra de duas novas bombas de captação para entregarmos o sistema quase 100% funcionando”, reforça.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.