18 C
Rio Branco
7 maio, 2021 12:34 am

Incomodada com colegas de partido na oposição, Sinhasique deixa o MDB

Após anunciar saída, secretária entrou no radar do Podemos, presidido por Ney Amorim

POR LEANDRO CHAVES, DO CONTILNET*

A secretária de Empreendedorismo e Turismo do Acre, Eliane Sinhasique, não faz mais parte dos quadros do MDB, partido pelo qual se elegeu vereadora de Rio Branco e deputada estadual. Na sexta-feira (31), ela se reuniu com o presidente estadual da legenda, o deputado federal Flaviano Melo, e devolveu sua ficha de filiação.

Dois motivos pesaram para a decisão da agora ex-emedebista. Uma delas é a insatisfação com a postura ambígua do partido em relação ao governo Gladson Cameli (Progressistas).

A bancadas do MDB na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), formada pelos deputados Roberto Duarte, Antonia Sales e Meire Serafim, tem agido de forma independente, chegando a assinar o pedido de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar possível escândalo de corrupção na Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (SEE).

Por outro lado, nomes como o senador Márcio Bittar (MDB), por exemplo, têm tentado aparar as arestas entre o partido e o governo, levando-o de volta à base e emplacando mais uma secretaria, a de Produção e Agronegócio (Sepa), comandada hoje por Neném Junqueira – homem de confiança do parlamentar federal, embora não filiado à legenda.

Ao jornalista Evandro Cordeiro, do AcreNews, Sinhasique afirmou que não pode estar inserida em um partido rachado. “Tem uma parte que apoia o Gladson, e outra não. Eu apoio ele! Apoio porque foi um governo que ajudei a eleger e faço parte como secretária. Fiquei muito desconfortável em ver pessoas dentro do MDB que ajudaram a eleger [o governador] e no outro dia tornaram-se oposição”.

Outro fator é a pretensão política da secretária. Ela não esconde que quer voltar à Aleac e que é mais fácil chegar lá estando filiada em um partido menor. Em 2018, ela esteve entre os 24 mais votados, porém ficou de fora por conta do quociente eleitoral.

Fora do MDB, Sinhasique entrou imediatamente no radar do Podemos, que passou nos últimos dias para o comando do ex-deputado estadual pelo PT Ney Amorim, recém-filiado. Neste sábado (1º), os dois tiveram uma reunião e há expectativa de sua ida para a legenda.

*Com informações do AcreNews