19.3 C
Rio Branco
21 junho, 2021 9:39 am

Norma Dumont descarta desafiar Amanda Nunes pelo título: “Não é o momento”

No último sábado (22), Norma Dumont superou a canadense Felicia Spencer, ex-desafiante ao cinturão dos penas, pelo card principal do UFC Vegas 27

POR AG FIGHT

O sonho de todo lutador do UFC é, sem sombra de dúvidas, conquistar um título pela organização.

O problema é que, muitas vezes, a oportunidade de disputar um cinturão aparece em um momento não tão favorável, por diversas razões, como, por exemplo, a falta de experiência dentro do octógono.

Mesmo assim, a maioria dos atletas, provavelmente com medo de deixar a chance escapar, opta por encarar o maior desafio da carreira sem que estejam completamente preparados. Porém, uma brasileira parece remar contra a maré.

No último sábado (22), Norma Dumont superou a canadense Felicia Spencer, ex-desafiante ao cinturão dos penas, pelo card principal do UFC Vegas 27, e, até mesmo por causa da escassez de atletas na divisão, já se colocou em posição de pleitear uma futura disputa de título.

Entretanto, a própria mineira descarta a ideia de desafiar a campeã Amanda Nunes neste momento.

O sonho de todo lutador do UFC é, sem sombra de dúvidas, conquistar um título pela organização.

O problema é que, muitas vezes, a oportunidade de disputar um cinturão aparece em um momento não tão favorável, por diversas razões, como, por exemplo, a falta de experiência dentro do octógono.

Mesmo assim, a maioria dos atletas, provavelmente com medo de deixar a chance escapar, opta por encarar o maior desafio da carreira sem que estejam completamente preparados. Porém, uma brasileira parece remar contra a maré.

No último sábado (22), Norma Dumont superou a canadense Felicia Spencer, ex-desafiante ao cinturão dos penas, pelo card principal do UFC Vegas 27, e, até mesmo por causa da escassez de atletas na divisão, já se colocou em posição de pleitear uma futura disputa de título.

Entretanto, a própria mineira descarta a ideia de desafiar a campeã Amanda Nunes neste momento.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight (veja acima ou clique aqui), Norma pregou paciência em sua caminhada rumo ao título do UFC.

Com apenas três lutas pela organização, e sete em toda sua carreira, a lutadora enxerga a necessidade de ganhar mais experiência dentro do octógono antes de se testar contra uma atleta do calibre da compatriota, considerada por muitos como a ‘GOAT’ (maior de todos os tempos) do MMA feminino.

Para isso, a mineira reforçou seu desejo de descer para o peso-galo (61 kg), onde teria mais oportunidades de competir.

“Com relação ao meu peso e o que vai ser feito daqui para frente, a gente vai sentar, vai conversar com o PI (Instituto de Performance do UFC). Porque não é só uma decisão minha. Tem toda a minha equipe, tem o meu empresário, tem os próprios médicos do PI, que a gente colocou na mão deles, então a gente tem que trabalhar juntos. Eu queria descer para 61 (kg) porque eu quero mais lutas. Na divisão de cima eu só tenho a francesa ou a Danyelle (Wolf). A francesa está tentando descer, a Zhara (dos Santos), está tentando descer. A Danyelle está machucada. Eu não vou enfrentar a Amanda (Nunes) agora porque eu não acho que é o momento”, ponderou Norma Dumont, antes de continuar.

“Eu preciso de mais lutas, me conhecer mais dentro do octógono para enfrentar uma atleta que já tem tanta experiência quanto a Amanda. Acho inclusive que foi um erro da Felicia (Spencer). Todo mundo fala: ‘Ah, ela veio da disputa de cinturão’. Para mim, ela foi em uma disputa de cinturão que não era para ela ter ido. Pegou cinco rounds de surra. Não é que ela não tenha condição. Talvez o momento não favorecia para isso. E eu não quero que isso aconteça comigo. Porque o problema não é você perder, é você não ter chance nenhuma de levar a luta. Isso é algo ruim. O atleta tem que amadurecer. Então, por esse motivo, a gente está tentando descer para a divisão de baixo, para que eu consiga fazer umas cinco ou seis lutas, e aí falar: ‘Pronto, a Norma se conhece 100% dentro do octógono’. Aí eu enfrento qualquer uma que estiver com o cinturão na mão”, concluiu.

O interesse de mudar para o peso-galo não é novidade. Na luta anterior, Norma já havia tentado descer de divisão, mas falhou na balança de forma significativa.

Agora, a mineira trabalha em parceria com os profissionais do UFC PI para encontrar uma forma saudável de cortar o excesso de peso e, ao que parece, está confiante de que conseguirá atingir seu objetivo.

Os artigos são de responsabilidade exclusiva dos autores. É permitida sua reprodução, total ou parcial desde que seja citada a fonte.