29.3 C
Rio Branco
9 junho, 2021 2:20 pm

Trabalhadores do ramo de evento protestam: “Não pode trabalhar, mas pode aglomerar na ponte”

POR EVERTON DAMASCENO, DO CONTILNET

Proprietários de buffet, bares e restaurantes, além de profissionais do ramo de eventos em Rio Branco, realizaram um protesto em frente à Casa Civil, na manhã desta terça-feira (11).

Eles pedem do governo do Estado o retorno das festividades com pelo menos 20% de público. A classe já chegou a conversar com representantes do executivo, mas não teve sua necessidade atendida.

Foto: ContilNet

Insatisfeitos, os manifestantes decidiram montar um cenário em frente à secretaria, com bolo, pula pula, tapete vermelho e pipoca. Faixas e cartazes também fizeram parte do movimento.

O empresário do ramo de segurança em festas, Tadeu Augusto, proprietário da empresa Pronta Resposta, disse que muitos trabalhadores estão passando fome e famílias estão endividadas por conta das restrições impostas pelo governo para conter a pandemia do novo coronavírus.

“Não dá mais. Também queremos os nossos direitos, de trabalhar, ganhar o nosso sustento, pagar as nossas contas e sustentar as nossas famílias. O que queremos é o retorno dos eventos com pelo menos 20% da capacidade total”, frisou.

Foto: ContilNet

Em entrevista, ele ironizou a realização do evento de inauguração da ponte do Abunã, que contou a participação de quase 6 mil pessoas. “Então, não podemos trabalhar com todos os cuidados necessários e com a segurança devida para evitar esse vírus, mas pode fazer um evento, aglomerando centenas de pessoas, sem qualquer cuidado?”, questionou.

A presença do governador foi um insistente pedido feito pelos integrantes do movimento. Até o fechamento desta matéria, ninguém apareceu para negociar com os protestantes.

Foto: ContilNet

Foto: ContilNet

Foto: ContilNet

Foto: ContilNet

Foto: ContilNet