18.3 C
Rio Branco
3 agosto 2021 9:52 am

Acreano viaja a outro país para comprar pizza para esposa: “ainda chegou quentinha”

POR DOUGLAS RICHER, DO CONTILNET

Siga meu Instagram e veja mais conteúdos: @douglasricher

Há 18 anos juntos, o casal Cleiton e Daianny da Silva Carneiro, ambos natural de Rio Branco, tem muitas histórias para compartilhar neste dia especial.

Na época, ambos residiam no município de Brasiléia e a paquera rolou por intermédio de duas sobrinhas. Cleiton conta que quando viu a esposa pela primeira vez ficou encantado e não parava de passar na rua de sua casa: “Ela era vizinha do meu irmão, toda tarde eu dava umas 10 viagens pela rua dela e ficava olhando, eu gastei vários pneus do carro e ela deve ter acabado umas 10 vassouras. Porque toda vez que ela me via inventava de varrer a varanda da casa dela”, comentou.

Cleiton ainda lembra de um fato bem interessante do casal. Daianny sentiu desejo de comer uma pizza peruana da pizzaria do Pelegrino, que fica localizada em Iñapari, no Peru, mas não podia se ausentar do local onde estava, na Pousada Kumarurana, pois estava auxiliando nos cuidados da avó de Cleiton. Para atender o pedido de sua amada esposa, o marido viajou 6h, percorreu 102km, até Assis Brasil, município que faz fronteira com Iñapari, para comprar uma pizza para sua esposa.

“Ela estava com vontade de comer uma pizza lá do Peru e fui buscar para ela, peguei a estrada era 17h da tarde, cheguei 23h da noite com a pizza quentinha”, conta Cleiton.

Crises

Não diferente dos relacionamentos, cheios de altos e baixos, Cleiton e Daianny também enfrentaram dificuldades. A situação financeira abalou a estima do casal que morava de aluguel uma época. “Pouco tempo, acho que uns dois anos de casamento, a gente enfrentou o desemprego, ambos desempregados. Ele até comentou que se eu quisesse abrir mão do casamento e voltar para casa da minha mãe, podia ir embora sem problemas. Mas nunca desistimos, e permaneci ao lado dele”, comentou Daianny.

Dos momentos marcantes, a esposa ainda relata a crise com o marido, que estava viciado em jogos e abriu casas de poker em Rio Branco. “Ele não tinha mais tempo para mim, era dia e noite nas casas de jogos, isso abalou muito nossa relação e eu pedi para ele a separação”, conta Daianny.

Reviravolta

Segundo Cleiton, após sentir que sua relação estava chegando ao fim, decidiu abandonar as casas de jogos e procurou reconciliação com sua religião. Cleiton e sua esposa Daianny hoje são membros da Comunidade Batista Vida do Pastor Marquinhos. “Deus mudou minha vida e salvou meu relacionamento, Deus é tudo na minha vida”, comentou.

spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
É permitida sua reprodução total ou parcial desde que seja citada a fonte. Opiniões emitidas em artigos e comentários são de responsabilidade exclusiva dos autores.